Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Seleção brasileira dá show no primeiro tempo e derrota o Catar em preparação para Copa América

Escrito em

Após longos 3 anos de espera, o Brasil finalmente voltou a jogar em solo brasiliense. E, apesar de um segundo tempo abaixo do esperado contra uma seleção fraca tecnicamente, foi com grande estilo. A equipe comandada por Tite derrotou o Catar, atuais campeões asiáticos, por 2×0 e saíram de campo com um misto de vaias e aplausos da torcida local. Já na fase final de preparação para a Copa América, a seleção canarinho ainda enfrenta Honduras, no próximo domingo, antes de estrear na competição continental, no próximo dia 14. 

O jogo teve um gostinho especial para os brasilienses, que não recebiam a seleção brasileira desde o empate sem gols contra o Iraque, nas Olimpíadas de 2016. A seleção principal não pisava no gramado do Mané Garrincha desde a fatídica derrota na disputa do 3º lugar da Copa do Mundo de 2014 para a Holanda por 3×0. 

Entre Copa do Mundo, Copa das Confederações, Olimpíadas e amistosos, esse foi o sétimo jogo de nossa seleção no Estádio Nacional após a sua reinauguração, em 2013. Com a vitória de hoje, o Brasil soma quatro vitórias, dois empates e apenas uma derrota. Foram marcados 15 gols e apenas 4 sofridos. 

Após essa vitória contra o Catar, o Brasil viaja para o Rio Grande do Sul, onde enfrenta o Honduras, no Estádio Beira-Rio. A estreia na Copa América, enfim, será no próximo dia 14, no Morumbi, contra a Bolívia. Além da La Verde, o grupo A conta, ainda, com Venezuela e o Peru. Já no B, o Catar terá uma difícil missão pela frente. Os asiáticos precisarão passar por Paraguai, Colômbia e Argentina para se classificarem para a segunda fase.

Neymar, que enfrenta uma acusação de agressão e estupro, foi muito ovacionado pela torcida que compareceu ao estádio. Quando o seu nome apareceu nos telões, no momento da escalação do time brasileiro, a torcida fez festa, assim como em cada toque do camisa 10. Em um primeiro momento, quando o Catar estava com a bola, seu nome foi gritado pelos torcedores. O craque da seleção brasileira voltou a sentir o tornozelo e precisou ser substituído ainda aos 20 minutos da primeira etapa, para decepção dos torcedores.

A cada avanço da seleção brasileira, seja com Daniel Alves na saída de bola, seja com Neymar, Gabriel Jesus e Coutinho, a torcida jogava junto. E foram os dois últimos que tiraram os primeiros suspiros do público presente. Primeiro, aos 12, Jesus recebeu bola na direita, partiu para cima da marcação, entortando a zaga. Porém, o passe não levou sua equipe á lugar algum. Depois, o camisa 11 recebeu de Neymar, puxou para o meio e bateu forte. A bola passou do lado direito de Al-Sheeb e saiu em linha de fundo.

Embalado com o apoio da torcida. O Brasil partia para cima e buscava as roubadas de bola. Richarlison, fosse pela ponta direita, fosse pelo centro, cobrindo as aberturas de Gabriel Jesus, trazia perigo. A movimentação, seguia sendo um dos pontos fortes dos dois jogadores. Inclusive, foi assim que saiu o gol. Aos 16’, Daniel Alves chegou na linha de fundo e cruzou para dentro da área. O camisa 21, no meio da área, testou firme no canto esquerdo do goleiro qatari e abriu o placar. 1×0 para o Brasil. 

Richarlison e Gabriel Jesus marcaram os gols do Brasil na vitória por 2×0 frente ao Qatar – Foto: Thiago Araújo/Agência EB

Ponto forte dos canarinhos nessa primeira metade do primeiro tempo, os dois jogadores voltaram a brilhar, juntos, e aumentaram a vantagem aos 23 minutos. Richarlison recebeu na entrada área e encontrou Gabriel Jesus, livre, na cara do gol, só tocar no canto direito e fazer 2×0.

Capitão após punição da agressão de Neymar a um torcedor, Daniel Alves estava solto em campo. Muito, também, por conta da marcação baixa que o Catar se propunha a fazer. Aos 30, o camisa 13 recebeu e chutou forte, buscando o ângulo do arqueiro asiático, que voou bonito, fez a defesa e jogou a bola para escanteio. Foi ele que quase marcou o terceiro. Novamente, da mesma posição, o lateral direito chutou forte, obrigando a prática de uma boa intervenção. Na sobra, Coutinho tirou a marcação e buscou o canto esquerdo, sem sucesso. 

Acoados em campo e sem qualquer perigo, o Catar buscava assustar o Brasil. Aos 37’, Hassan fez uma bela jogada pela esquerda, deixou Arthur e Casemiro no chão. Linda jogada que terminou com uma finalização ruim, longe do gol de Ederson. 

E o Brasil, mesmo com o domínio total e a vantagem no placar, continuava marcando em cima e roubando a bola ainda no campo de ataque. Foi em uma dessas jogadas que a seleção teve um pênalti marcado a seu favor – posteriormente anulado pelo VAR, mas que demonstrou uma vontade e determinação que, até então, não eram vistas pelos torcedores. Foi assim também que Everton Cebolinha obrigou Al Sheeb a fazer outra boa defesa no canto esquerdo.

E o segundo tempo voltou como terminou o primeiro. Com um abismo tecnicamente enorme entre as duas equipes, o Brasil seguiu pressionando e dificultando o jogo do Catar, que errava um passe atrás do outro. Enquanto isso, o Brasil seguia criando oportunidades e buscando o terceiro gol, porém, perdendo boas chances. Foi assim com Everton, que dominou mal e foi desarmado, com Gabriel Jesus, que recebeu em profundidade e chutou em cima do goleiro.

Em outro raro momento no jogo, o Catar chegou e levou perigo ao gol de Éderson. Após bonita jogada, Almoez Ali recebeu no meio, tirou bem da marcação e chutou forte. A bola desviou na zaga e, mesmo assim, passou perto. Visando a Copa América, que começa já na semana que vem, o Brasil tirou o pé do acelerador e passou a ter um jogo mais lento. Aproveitando a situação, o técnico Tite aproveitou para mexer no time e colocar os reservas para jogar. O catar ainda conseguiu chegar mais uma vez aos 33’. Khoukhi cobrou bem uma falta na direita e obrigou o goleiro Éderson a fazer sua primeira defesa no jogo.

Aos 36’, Gabriel Jesus sofreu falta na intermediária e Casemiro foi para bola. Ele, que tinha tentado uma cobrança no primeiro tempo e acertado a barreira, bateu bem dessa vez e arrancou suspiros da torcida brasileira. E o Brasil, mesmo com mais volume de jogo e posse de bola, não conseguia aumentar a vantagem. Aos 39 minutos, Casemiro alçou a bola para Gabriel Jesus, dentro da área, sem marcação. Ele dominou para a perna esquerda e tentou tirar do goleiro. A bola teimou em não entrar e passou raspando a trave direita do goleiro qatari.

Antes do apito final, aos 49 minutos, o juiz venezuelano Jose Argote ainda marcou um pênalti para o Catar após revisar o lance no VAR. Abdulsalam foi derrubado na área por Éderson. Bola na marca da cal, Khoukhi foi para a cobrança. O camisa 16, na hora da cobrança, escorregou e acertou o travessão. E foi isso. O Brasil venceu o Catar por 2×0. 

Apesar do adversário mais fraco tecnicamente, o Brasil mostrou um jogo ofensivo e muito agressivo. Marcando com os três atacantes e impedindo a saída de bola do Catar. Com um foco muito grande em marcar, o time de Tite cadenciou o segundo tempo e saiu com a vitória por 2×0. No final do jogo, um misto de aplausos e vaias tomaram o Mané Garrincha.

AMISTOSO INTERNACIONAL
BRASIL 2×0 CATAR
05/06/2019 – ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA – BRASÍLIA/DF

Arbitragem: Jose Argote (Venezuela)
Assistente 1: Lubin Torrealba (Venezuela)
Assistente 2:  Franchescoly Chacón (Venezuela)

Público: 34.204 pagantes
Renda: R$ 3.880.825,00

Cartões amarelos: Pedro Correia e Madibo (Catar) ; Casemiro (Brasil)

Cartões vermelhos: Não teve.

Gols: Richarlison, aos 16′, e Gabriel Jesus, aos 23′, do primeiro tempo.

BRASIL
Ederson; Daniel Alves (Militão), Marquinhos, Miranda, Filipe Luís (Alex Sandro); Casemiro, Arthur (Fernandinho) e Coutinho (Lucas Paquetá); Richarlison (David Neres), Gabriel Jesus e Neymar (Everton).
Técnico: Tite.

CATAR
Al Sheeb; Pedro Correia, Al Rawi, Khoukhi, Salman e Hassan (Ali Fif); Madibo, Al Haydos (Doozandeh) e Hatem (Abdullah); Afif (Alaaeldin) e Almoez Ali.
Técnico: Felix Sánchez.

Gabriel Lima é jornalista e editor executivo da Esportes Brasília. Já cobriu uma Copa do Mundo da FIFA (2019).

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

P