Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Árbitro relata confusão na súmula e Brasiliense corre risco de punição pelo STJD

Escrito em

Foto: Fernando Godoy/Agência EB

O Brasiliense se despediu da disputa da Série D de forma triste. Após perder a partida de ida no Espírito Santo por 3×1, o Jacaré precisava vencer por dois gols para levar aos pênaltis ou três para a classificação direta, no confronto contra o Nova Venécia (ES). Entretanto, a equipe do Distrito Federal acabou empatando por 1×1 e foi desclassificada na segunda fase da competição.

O resultado e a “cera” protagonizada pelo adversário irritou a torcida organizada do Brasiliense, levando os torcedores a invadir o campo antes do apito final. O árbitro da partida, Antônio Dib Moraes de Sousa, optou por encerrar o jogo aos 48 minutos, antes do tempo pré-estabelecido. O policiamento teve que entrar em ação para evitar piores danos.

Veja o que o juiz relatou na súmula sobre a confusão e o arremesso de bombas no campo:

Relato que a partida foi paralisada aos 48 minutos do segundo tempo, quando a bola estava em jogo, devido à invasão de campo por membros da torcida organizada da equipe do Brasiliense FC, que se localizava atrás da meta defendida pelo goleiro adversário no segundo tempo. Informo ainda que os referidos membros da torcida organizada da equipe do Brasiliense FC correram em direção aos jogadores de ambas as equipes, fazendo com que estes corressem em direção aos seus respectivos vestiários. Esclareço ainda que depois de os jogadores da equipe do Nova Venécia terem entrado no seu vestiário, os torcedores invasores tentaram arrombar a porta deste vestiário com socos e pontapés, porém sem êxito, devido à intervenção da polícia militar, comandada pelo 1º Sargento Patamo Bravo, Raimundo Nonato Barreira dos Santos. Informo que, logo após a invasão, a equipe de arbitragem se dirigiu ao seu vestiário escoltada por policiais. Após conversa com o já referido comandante do policiamento e com o delegado da partida, o sr. Rodrigo Paulino, a partida foi dada por encerrada por falta de segurança em prosseguir, tendo as duas equipes sido avisadas”.

O relatório também informa as duas explosões registradas na reta final do segundo tempo, em direção ao goleiro Paulo Henrique, do Nova Venécia.

Informo que foram lançadas duas bombas atrás da meta defendida pela equipe Nova Venécia, uma aos 39 minutos do segundo tempo, e outra aos 44 minutos do segundo tempo, oriundas de onde se localizava a torcida organizada da equipe Brasiliense FC, não atingindo nenhuma pessoa envolvida na partida. Esclareço que em ambos os momentos, a Polícia Militar foi informada e a partida prosseguiu normalmente”,

A confusão pode trazer problemas futuros para os lados do Jacaré, que corre risco de ser punido pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

O Brasiliense pode ser enquadrado no Artigo 213, inciso 2º: “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo“. Se condenado, pode ser multado de R$ 100 a R$ 100 mil e perda de um a dez mandos de campo.

Continue Reading
P