O dia 17 de maio é um marco para a humanidade. Isso porque representa o dia que, no ano de 1990, o termo “homosexualismo” foi excluído da lista de distúrbios mentais do Código Internacional de Doenças da Organização Mundial da Saúde. Assim, em todos os anos, desde então, esta data é lembrada como o dia do Orgulho LGBTQIA+.

No meio do futebol também não é diferente. Os maiores clubes do Brasil reservam uma postagem nas redes sociais para marcar a luta contra o preconceito em um esporte tão marcado pela falta de respeito e pela discriminação à população LGBTQIA+. A luta é para tentar banir qualquer tipo de insulto e desamor no esporte.

O Esporte Clube Bahia fez uma postagem nas redes do time aliando a discriminação ao isolamento social, que está acontecendo no Brasil, por conta da pandemia do Coronavírus.

Já o Flamengo divulgou uma arte falando de respeito e igualdade, que são deveres de todo cidadão.

No DF, essa luta não foi lembrada pela grande maioria dos times que disputam a elite do futebol candango. Para ser mais preciso, dos 12 clubes que jogam a Série A do Candangão, apenas o Gama fez uma menção a esse dia tão importante na história da sociedade.