O Ceilândia Esporte Clube divulgou uma nota oficial na manhã desta sexta-feira (29), sobre a situação do time após a notícia de que o gato preto poderia ficar fora do Candangão 2020.

No texto, fica claro que a prioridade do clube é quitar dívidas com fornecedores, funcionários e atletas, mas que a possibilidade de não jogar o Campeonato Brasiliense é real.

Ainda segundo a nota, foi decidido em assembleia que caberá apenas à diretoria executiva do clube a decisão de jogar – ou não – o torneio local. “No momento vem ocorrendo algumas conversas muito tímidas em fomentar uma parceria visando o calendário futebolístico, em todas as suas categorias para 2020, porém não é a prioridade”, diz a diretoria.

A diretoria do Ceilândia ainda propõe que seja feito um debate sobre o desenvolvimento do futebol na capital federal. “Sem o devido debate sobre o desenvolvimento do futebol do Distrito Federal, suas políticas e relações institucionais, fica muito difícil avançarmos. Um debate com esses tema se faz necessário”, ressalta o texto.

Sem contrato com a TV

O Ceilândia não assinou contrato com a TV Brasília, emissora detentora dos direitos de transmissão do Candangão 2020 e 2021. Segundo a diretoria alvinegra, “o modelo apresentado não ajuda em absolutamente nada o futebol do DF”.

Vale lembrar que, segundo matéria do site Distrito do Esporte, clubes e televisão deverão dividir lucros e dividendos das transmissões da competição. Diferentemente do antigo contrato, os clubes não receberão verbas pelos direitos de transmissão.

Confira a nota divulgada pelo Ceilândia EC:

A DIREÇÃO DO CEILÂNDIA ESPORTE CLUBE VEM A PÚBLICO, ATRAVES DESTE, INFORMAR:

1) Em assembleia decidiu-se facultar a diretoria executiva a decisão de cumprir ou não as atividades programadas pelo departamento de FUTEBOL em 2020, qualquer decisão será aceita pela assembleia.

2- A possibilidade de não disputar as atividades de futebol profissional no ano de 2020 é existente.

3 – O Ceilândia Esporte Clube concentra suas energias em colocar em ordem as finanças do clube, quitando suas dívidas com funcionários, fornecedores e impostos.

4- No momento vem ocorrendo algumas conversas muito tímidas em fomentar uma parceria visando o calendário futebolístico, em todas as suas categorias para 2020, porém não é a prioridade.

5 – O Ceilândia Esporte Clube não assinou o contrato com a TV Brasília, mesmo sem ter feito uma discussão mais profunda, o modelo apresentado não ajuda em absolutamente nada o futebol do DF.

6-  Sem o devido debate sobre o desenvolvimento do FUTEBOL do Distrito Federal, suas políticas e relações institucionais, fica muito difícil avançarmos. Um debate com esses tema se faz necessário.

7- Qualquer outra informação é mera especulação.

Brasília- DF, 28/11/2019
Ceilândia Esporte Clube