Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

No retorno de Adelson ao Abadião, Brasiliense derrota o Ceilândia

Escrito em

No primeiro jogo de Adelson de Almeida contra o Ceilândia, o Brasiliense levou a melhor e derrotou o Gato Preto por 2×0. Com a vitória, o Jacaré segue sem levar gols na competição e agora divide a liderança com o Gama, que ainda fica na primeira colocação por conta do saldo de gols (11×9). Já o time do técnico Jairo Araújo vai preocupando a torcida e termina a rodada fora da zona de classificação para a segunda fase do Candangão, em nono lugar.

O jogo começou morno, bem estudado pelas duas equipes, e o Ceilândia assustou primeiro. Aos nove minutos, após bate e rebate, a bola foi levantada para área, Gabriel tocou nela e o goleiro Sucuri engoliu um frangaço. A sorte do arqueiro é que o camisa 9 do Ceilândia estava impedido e o gol foi anulado. Mesmo jogando fora de casa, o Brasiliense, pouco a pouco, começava a ocupar mais o campo de ataque, principalmente pelo lado direito, comandado pelos avanços de Alex Murici. E foi dos pés dele que saiu a primeira chance do Jacaré. Aos 15′, ele recebeu em profundidade, invadiu a área e chutou forte cruzado. Victor Brasil, bem posicionado, espalmou para escanteio.

Os visitantes estavam bem à vontade em campo e dominavam as ações ofensivas, sem dar espaço para o Ceilândia jogar. Aos 28′, Alex Murici mandou uma bomba para o gol em cobrança de falta, obrigando Victor Brasil a fazer bela defesa. O ímpeto da equipe amarela quase deu resultado. Reinaldo recebeu bola na direita e viu bem a infiltração de Erick Flores. Ele cruzou rasteiro e o camisa 7 empurrou a bola para as redes. Porém, o assistente levantou a bandeira e invalidou o gol.

O Ceilândia só voltou a assustar aos 38 minutos do primeiro tempo. Kabrine cobrou falta de longa distância, no ângulo de Sucuri, que espalmou a bola para escanteio. Na cobrança, Jefferson subiu sozinho e quase anotou o primeiro gol do jogo. Aos 41′, o volume de jogo do Brasiliense deu resultado. Após cobrança de falta de Almir, Victor Brasil defendeu, a bola beliscou o travessão e sobrou para Luquinhas. O atacante mandou para o meio da área e Geovane completou para as redes. 1×0 para o Jacaré, que desceu para o vestiário com a vantagem no placar.

O segundo tempo começou diferente. O Ceilândia quase chegou ao empate aos sete minutos. Gago cruzou da direita e Romário, que entrou no intervalo, finalizou de letra. Edmar Sucuri fez a defesa, mas o bandeira já havia assinalado o impedimento do atacante. Porém, aos 13′, mais um duro golpe para o Gato Preto. Em cobrança de falta de Alex Murici, Victor Brasil saiu mal e Gleissinho, sem goleiro, só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. 2×0 para o Jacaré. No lance seguinte, quase o desconto dos donos da casa. A bola sobrou fora da área e Cocada soltou um canudo, quase acertando o ângulo de Sucuri.

Com gols de Geovane e Gleissinho, jacaré bate gato preto em pleno Abadião – Foto: Igo Estrela/Metropoles

Muito bem postado em campo, o Brasiliense jogava no erro do Ceilândia, assustando quando chegava. Aos 17′, Alex Murici – sempre ele, bateu falta aonde a coruja dorme e Victor Brasil se esticou todo para evitar o terceiro gol dos visitantes. A partir daí, segundo tempo seguiu morno, sem grandes chances para ambos os lados. Os goleiros quase não trabalharam e as equipes seguiam sem criar grandes chances de gols, desperdiçando as jogadas ofensivas.

Aos 39 minutos, após cruzamento de Peninha, Lúcio testou firme para o gol. A bola bateu no travessão e assustou Victor Brasil, que nada poderia fazer caso a bola fosse para o gol. O final do jogo voltou a ser morno, com as duas equipes aparentemente satisfeitas com o resultado. O Ceilândia até ficava com a posse de bola, mas não assustava. Final do jogo: Ceilandia 0x2 Brasiliense.

Eleito o melhor em campo pela reportagem da Esportes Brasília, o lateral direito do Jacaré, Alex Murici, ressaltou o jogo de equipe do Brasiliense. “Nós estamos buscando assimilar o que o professor Adelson de Almeida vem pedindo, a gente vai se cobrando para que as coisas sejam bem feitas, e graças a Deus vem tudo dando certo. A gente tem que seguir pensando grande, disse.

Do lado do Ceilândia, Erisson lamentou a derrota. “Faltou a gente agredir um pouco mais, a gente ficou tocando muito a bola atrás e não assustou muito o Brasiliense. Agora a gente tem uma semana cheia para trabalhar e vamos atrás do prejuízo”, falou.

O próximo compromisso das duas equipes será no próximo sábado, às 15h30. Enquanto o Ceilândia sai para enfrentar o Santa Maria, no Bezerrão, o Brasiliense recebe o Capital no Serejão.

CANDANGÃO 2019 – 5ª RODADA
CEILÂNDIA 0×2 BRASILIENSE
17/02/2019 – ESTÁDIO ABADIÃO – CEILÂNDIA-DF

Arbitragem: Rafael Diniz
Assistente 1: Daniel Henrique
Assistente 2: Lucas Modesto
Quarto árbitro: Anderson Bassoto
Inspetor: Marrubson Freitas

Público: 520 pagantes
Renda: R$ 2.370,00

Cartões amarelos: Wallace (Ceilandia); Gleissinho (Brasiliense).

Cartões vermelhos: Não teve.

Gols: Geovane, aos 41 do primeiro tempo; Gleissinho, aos 13 do segundo tempo (Brasiliense).

CEILÂNDIA

Victor Brasil; Murilo, Cocada, Jefferson, Kabrine; Helinho, Miguel Jardim (Erisson) e Gago (Tatuí); Formiga, Gabriel (Romário) e Wallace.
Técnico: Jairo Araújo

BRASILIENSE

Edmar Sucuri; Alex Murici, Lúcio, Antônio Carlos e Geovane; Gleissinho, Erick Flores (Radamés) e Emerson; Reinaldo (Afonso), Almir (Peninha) e Luquinhas.
Técnico: Adelson de Almeida

Gabriel Lima é jornalista e editor executivo da Esportes Brasília. Já cobriu uma Copa do Mundo da FIFA (2019).

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

P