Siga Nossas Redes Sociais

Basquete

“Sem patrocínio, não temos como disputar o próximo NBB”, diz presidente do Cerrado

Escrito em

Foto: João Pires/LNB

Uma notícia caiu como uma bomba no basquete candango, na tarde desta quarta-feira (19). Segundo o jornalista Enéas Lima, o Cerrado Basquete estaria fora da próxima edição do Novo Basquete Brasil.

A reportagem da Esportes Brasília conversou com o presidente do Cerrado Basquete, Dimitri Rodrigues, para tentar entender a situação. Dimitri confirmou a informação dada pelo jornalista e explicou que, sem patrocínio, a equipe que participou de quatro edições do NBB estaria fora da próxima edição.

“Hoje, dia 19 de junho, eu confirmo que estamos fora do próximo NBB. Isso porquê não temos o patrocínio garantido para a próxima temporada. A Liga [Nacional de Basquete] exige que apresentemos as garantias financeiras até o mês de julho e, nesse momento, sem essas garantias, não posso confirmar a participação do time”, contou Dimitri.

O dirigente também afirmou que precisou fazer ações pessoais para garantir e honrar os compromissos. “Cheguei a vender carro, fazer empréstimos pessoais e me desfazer de outros bens para honrar o que tinha acertado com jogadores e comissão técnica, fiquei mal de saúde, mas consegui cumprir tudo. Agora, sem essa garantia, não posso colocar mais apoio pessoal nisso”, ressaltou.

Contudo, esperançoso, Dimitri afirma que se aparecer algum patrocínio, o Cerrado Basquete participará pela quinta vez da competição nacional. “Estamos na expectativa. Queremos disputar o NBB. Mas não consigo disputar sem patrocínio”, finalizou.

Vale lembrar que, até o momento, o técnico Régis Marrelli e o pivô Andrezão tiveram as saídas anunciadas do time. Régis foi anunciado como novo treinador do São José Basket e Andrezão vestirá a camisa do Bauru Basket.

Rener Lopes é jornalista formado pela UCB. Atua na mídia esportiva desde 2006, com passagens por sete rádios, como narrador, apresentador e setorista. Tem no currículo três olimpíadas (Atenas 2004, Londres 2012 e Rio 2016), três Copas do Mundo (Brasil 2014, Rússia 2018 e Qatar 2022) e duas Copas América (Brasil 2019 e 2021).

P