Siga Nossas Redes Sociais

Outros Esportes

Brasil fatura três medalhas em duas categorias do Grand Slam de judô

Escrito em

O primeiro dia de combates do Grand Slam de Brasília de judô começou a todo vapor. Somente nas duas primeiras lutas, o Brasil obteve uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze.

48kg feminino

A lutadora paulista Gabriela Chibana enfrentou a portuguesa Catarina Costa, valendo a medalha de ouro na categoria feminina até 48kg.

A luta estava bem disputada, mas restando 2’38 para o fim do combate, a europeia colocou a brasileira no chão e anotou um koka, a pontuação mais básica do judô.

Quando faltava cerca de 1’30 no relógio, a brasileira pediu uma marcação de yuko sobre a portuguesa. A arbitragem então chamou o assistente de vídeo, mas a pontuação não foi confirmada pelos juízes.

Coube à Catarina apenas administrar o tempo e confirmar a medalha de ouro para Portugal, com a brasileira ficando com o segundo lugar.

“A gente luta pra ganhar a medalha de ouro, mas a portuguesa encaixou um golpe um pouco antes. Então, tive que mudar minha estratégia pra tentar jogar um golpe, mas o mérito foi todo dela”, analisou Chibana.

Nas lutas pelo bronze, a israelense Shira Rishony e a espanhola Laura Martinez Abelenda venceram as adversárias e faturaram o terceiro lugar.

60kg masculino

Valendo uma das medalhas de bronze, o brasileiro Renan Torres enfrentou o espanhol Francisco Garrigos. A luta foi pra lá de disputada e os dois judocas não conseguiram tirar o zero do placar. Assim, a decisão foi para o Golden Score.

Depois de 84 segundos de combate, o espanhol conseguiu anotar um koka e confirmou a vitória, além da medalha de bronze.

A outra medalha de bronze ficou para o russo Issam Yashuev, que derrotou o oponente português Rodrigo Costa com um ippon, restando apenas 14 segundos para o fim do combate.

Se a tristeza ficou por conta da eliminação de Renan Torres, o brasileiro teve muito o que comemorar a seguir. Isso porquê a final foi decidida entre dois judocas brasileiros.

Allan Kubawara venceu o amigo e compatriota Eric Takabatake apenas no golden score, confirmando a dobradinha brasileira no pódio – Foto: Divulgação/IFJ

De um lado, Allan Kubawara. Do outro, Eric Takabatake. Com 1’30 de combate, Kubawara anota um koka e fica na frente. Mas, após consulta do VAR, o ponto é tirado. Os dois lutadores seguem sem pontuar por grande parte da luta. E assim foi até o fim do tempo de quatro minutos, levando a decisão para o golden score.

Na decisão, vitória de Allan Kubawara, que venceu Takabatake com um ippon aos 33 segundos.

As lutas continuam até terça-feira (08), no Centro Internacional de Convenções de Brasília, localizado no Setor de Clubes Sul. A entrada é franca.

Rener Lopes é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília (UCB); Atua na mídia esportiva desde 2006. Já teve passagens pelas rádios Paranoá FM, Comunidade FM do Gama, Transamérica FM Brasília, Bandeirantes AM Brasília e Ativa FM Brasília. Tem no currículo três olimpíadas (Atenas 2004, Londres 2012 e Rio 2016), duas Copas do Mundo (Brasil 2014 e 2019) e uma Copa América (Brasil 2019).

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

P