Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Brasiliense e Ceilândia empatam na abertura do quadrangular semifinal do Candangão

Escrito em

Foto: Alan Rones/Ceilândia EC

No estádio Abadião, na tarde deste sábado (05), Brasiliense e Ceilândia empataram em 0x0 pela primeira rodada da 2ª fase do Candangão 2022. O confronto teve pouca inspiração, muitas faltas e quase nenhuma chance clara de gol. As equipes parecem ter sentido o cansaço das partidas do meio de semana pela Copa do Brasil, onde as duas equipes se classificaram para a próxima fase da competição.

Na rodada seguinte, o Jacaré enfrenta o Capital, no estádio JK, no sábado (12) às 15:30. Já o Gato Preto, joga na segunda-feira (14), também no Abadião, às 15:30.

O jogo

A etapa inicial começou muito amarrada, nenhuma das duas equipes conseguia se destacar. A primeira chance do jogo só foi acontecer aos 11’, o zagueiro do Jacaré Preto Costa bobeou e perdeu a bola para Gabriel Pedra, o atacante invadiu a área e finalizou na rede pelo lado de fora. Aliás, a defesa dos donos da casa não teve um primeiro tempo inspirado.

Além do jogo amarrado, a arbitragem de Marcos Antônio Ferreira não agradava e foi alvo de diversas reclamações de ambas as partes. Aos 23’, dois dirigentes chegaram a invadir o campo muito nervosos com a atuação do árbitro, Ari de Almeida e Vilson de Sá estavam muito nervosos com o juiz. O quarto árbitro, Maricleber Cardoso tratou de acalmar os ânimos.  

A confusão causada pelos mandatários deixou o jogo ainda mais brigado e o que se viu foram algumas divididas mais fortes. Para tentar sair na frente, Tarta, aos 28’, chutou de fora, mas sem perigo. Aos 34’, Gabriel Pedra teve mais uma chance. O atacante chutou cruzado e Edmar Sucuri defendeu com facilidade. 

O Brasiliense chegou mais ao gol adversário no final da primeira etapa. Aos 38’, Zotti bateu falta, a bola passou rente à trave esquerda. Luquinhas também tentou tirar o zero do placar, mas Matheus Kayser defendeu. Os dois times deixaram a desejar, entretanto, vale lembrar, que as duas equipes tiveram partidas no meio de semana pela Copa do Brasil. 

O segundo começou perigoso para o Jacaré. Andrezinho, que já tinha sido amarelado desde da etapa inicial, literalmente “brincou com o perigo”. O camisa 2 fez várias faltas, porém não recebeu seu segundo amarelo. Para não correr o risco Celso Teixeira o tirou após alguns minutos. 

Com a entrada de Tobinha, o atual campeão Candango começou a atacar mais pelo lado esquerdo ofensivo. O camisa 22 criou uma boa chance, no entanto a bola subiu demais, passando pelo lado direito do arqueiro do Gato Preto. Ali era a principal zona de escape dos donos da casa.

A partida continuava com muitas faltas, passes errados e poucas chances perigosas. Aos 21’, Romarinho tentou botar o Ceilândia na frente. O atacante recebeu pela esquerda e cortou pra dentro, a bola subiu. O camisa 20, inclusive, foi o jogador que mais tentou criar no duelo, foram 3 chances, porém nenhuma muito clara.

O Esquadrão Amarelo tentou dar seu último gás nos minutos finais. Aos 45’, após cruzamento, Marcão mandou pra rede do goleiro, mas o centroavante estava em posição de impedimento. Logo depois, Peninha teve a oportunidade final, mas bateu na rede pelo lado de fora, o empate permaneceu até o final. 

CAMPEONATO CANDANGO – 2ª FASE – 1ª RODADA
BRASILIENSE 0-0 CEILÂNDIA
05.03.22 – ESTÁDIO ABADIÃO – CEILÂNDIA/DF

Árbitro: Marcos Antonio Ferreira dos Santos
Assistente 1: Leila Naiara Moreira da Cruz 
Assistente 2: Lehi Sousa Silva
Quarto Árbitro: Maricleber Cardoso de Gois

Cartões Amarelos:
Andrezinho, Preto Costa, Lucio, Celso Teixeira (T) (Brasiliense)
Gleisinho, Cabralzinho, Fernando Gomes (Ceilândia)

BRASILIENSE 
Edmar Sucuri; Andrezinho (Lucio); Badhuga; Preto Costa (Keynan); Goduxo; Railon; Aldo; Zotti (Peninha); Luquinhas (Matheus Barboza); Daniel Alagoano (Tobinha) ; Marcão
Técnico: Celso Teixeira

CEILÂNDIA
Matheus Kayser; Fernando Gomes; Vidal; Igor; Gleisinho (China); Gabriel Henrique; Tarta; Cabralzinho (Giovane); Mirandinha (Crystian); Romarinho; Gabriel Pedra (Romário)
Técnico: Adelson de Almeida

Continue Reading
P