Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

‘Rei Davi’ marca golaço, e Paracatu empata com Real no Mané Garrincha

Escrito em

candangao

No Estádio Nacional Mané Garrincha, o Real recebeu o Paracatu e deixou a vitória escapar no final do jogo, após o “Rei Davi”, como é chamado o garoto Davi, do Paracatu, dar um chapéu no zagueiro e fazer um golaço, empatando a partida. O resultado coloca o Leão na quarta posição e mantém os mineiros em sétimo.

Primeiro tempo

Desde o pontapé inicial, a equipe mineira tomou as rédeas da partida em busca da vitória, e assustou logo aos dois minutos de jogo. Danilo Itaporanga cobrou falta com categoria e a bola passou raspando a trave esquerda do goleiro Léo Rodrigues. Melhor em campo, a Águia quase marcou aos 8’. Davi aproveitou a bobeada da zaga do Real, roubou a bola, arrancou em direção à meta adversária, driblou Léo, mas na hora da finalização, o camisa 7 perdeu o ângulo e chutou para fora.

Mesmo sendo dominado, o Real chegou ao gol na primeira chance mais aguda. Aos 16 minutos, Feiipe Cirne foi lançado na ponta direita, não desistiu da jogada e conseguiu mandar a bola na área. A zaga do Paracatu não afastou, e Igor Balotelli, mesmo errando na hora da finalização, mandou a bola para o fundo do gol. Real 1×0 Paracatu.

Os mineiros sentiram o gol e o Leão começou a ganhar terreno, quase chegando ao segundo gol. Roger Gaúcho recebeu bola em profundidade de Felipe Cirne, invadiu a área pela diagonal e chutou forte. A bola desviou, mas não foi o suficiente para enganar o goleiro Gabriel, que espalmou para escanteio.

O jogo continuou pegado, sem grandes chances para ambas equipes até o apito que deu fim a primeira parte do jogo. No Mané Garrincha, continuava 1×0 para o Real.

Segundo Tempo

A etapa final começou com o Paracatu buscando o empate, e aos três minutos, pintou uma chance de ouro. Acerola lançou para Cecel, que foi derrubado dentro da área. Pênalti para a Águia. Na cobrança, Danilo Itaporanga deslocou o goleiro Gabriel e marcou o gol. Porém, o árbitro Gildevan Lacerda mandou voltar devido à invasão na área. Na repetição, goleiro e batedor trocaram de lados, mas a bola do camisa 6 foi para fora.

A resposta do Leão do Planalto não demorou para sair. Dois minutos depois, Nelisson recebeu em profundidade nas costas da zaga e arrancou para o gol. Na finalização, ele tentou um toque por cima do goleiro Gabriel. A bola desviou na zaga, bateu na trave e saiu em escanteio para o Real.

O Paracatu chegou novamente com perigo aos 15 minutos. Leandro Aguiar levou a melhor para cima dos adversários e finalizou forte, para boa defesa do goleiro Léo Rodrigues. No rebote, Acerola tentou colocar no ângulo, mas a bola saiu por cima do gol.

Aos 21′, o Real voltou a assustar. China chegou na linha de fundo e chutou para o gol ao invés de fazer o cruzamento, buscando surpreender Gabriel que, atento, fez a defesa.

O Paracatu aumentou o volume de jogo em busca do empate, mas pecava na hora da conclusão. Leandro Aguiar e Acerola davam trabalho para a zaga do Real, mas não conseguiam empurrar a bola para o barbante. Do outro lado, o Leão tentava administrar a vantagem, também sem oferecer grande perigo.

Buscando o gol até o fim, o Paracatu finalmente foi à rede. Aos 44’, o garoto Davi recebeu a bola no lado esquerdo, dominou no peito, chapelou a zaga e tocou, com categoria, no canto do goleiro. Um gol de placa no Mané Garrincha para empatar a partida.

Eleito o melhor em campo pela reportagem da Esportes Brasília, Filipe Cirne lamentou o empate. “A gente sabia que era um jogo complicado, o time deles jogou bem, dominamos o primeiro tempo, eles dominaram o segundo. Faltou guardar a bola, sofrer falta. Eles acharam um lindo gol, mérito deles, eles mereceram”, disse. “Agora é ver o jogo, entender o que errou, arrumar a casa e voltar a vencer”, finalizou.

O autor da pintura no jogo, Davi ressaltou a disputa do jogo. “A gente sabia que era um jogo de seis pontos, para não deixar eles abrirem vantagem sobre a gente”, falou. E o golaço, vai para quem, Davi? “Vai para essa torcida que apoiou o jogo inteiro, mesmo fora de casa. Eles estão de parabéns!”.

O próximo compromisso das equipes será somente na segunda semana de março. O Real sai para enfrentar o Bolamense no próximo dia 7, às 15h30, no estádio Abadião. Já o Paracatu joga fora de casa novamente. Desta vez, o adversário será o Sobradinho, no Augustinho Lima, dia 10, às 11h.

CANDANGÃO 2019 – 6ª RODADA
REAL 1×1 PARACATU
24/02/2019 – ESTÁDIO MANÉ GARRINCHA – BRASÍLIA-DF

Arbitragem: Gildevan Lacerda
Assistentes 1 e 2: Daniel Henrique e Adailton Borges
Quarto árbitro: Marcello Rudá

Público: 243 pagantes
Renda: R$ 1.710,00

Cartões amarelos: Roger gaúcho, Serginho, Graxa, Leonardo e Felipe Cirne (Real); Hícaro, Acerola, Gabriel Silva e Cecel (Paracatu)

Gols: Igor Balotelli, aos 16 do primeiro tempo (Real) e David, aos 44 do segundo tempo (Paracatu)

REAL

Leo Rodrigues; Caíque, Hyago, Wesley, China; Graxa (Robinho),
Andrei Alba, Nelisson, Felipe Cirne, Roger Gaúcho (Serginho); Igor Balotelli (Emanuel)
Técnico: Paulo Pereira

PARACATU

Gabriel; Henrique (Douglas Rato), Breno, Hícaro, Danilo Itaporanga; Pierre (Maycon Alagoano), David, Acerola (Higor Pato), David Manteiga; Leandro Aguiar e Cecel.
Técnico: Joel Cornelli.



Gabriel Lima é jornalista e editor executivo da Esportes Brasília. Já cobriu uma Copa do Mundo da FIFA (2019).

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

P