Siga Nossas Redes Sociais

Basquete

Universo/Brasília se credencia ao título mesmo com derrota para o Flamengo em casa

Escrito em

Quem tirou a noite de sexta-feira para assistir a um jogo de basquete, não se arrependeu. O jogo entre Brasília e Flamengo foi acima de todas as expectativas e brindou os 1281 torcedores que fizeram festa no ginásio da AsCEB.

O rubro-negro carioca levou a melhor e saiu vitorioso por 85×81. Essa foi a primeira derrota do Universo na competição, mas provou que o time candango tem culhão para bater de frente com os melhores do país.

Os dois maiores vitoriosos do basquete brasileiro se enfrentaram em um momento distinto. Enquanto o Flamengo é o atual campeão do Novo Basquete Brasil e carioca, o Brasilia vinha de um uma eliminação nas oitavas de final do NBB e a dispensa do técnico dez dias antes do torneio mais importante do Brasil começar. 

O tão aguardado roteiro de um Flamengo tomando as rédeas da partidas caíram por terra logo no início do primeiro quarto. O Universo demorou pouco tempo para abrir uma vantagem de oito pontos. Rafa Moreira soltou o braço e acertou quatro cestas de três. O Brasília seguia avassalador e, com muita vontade, tanto que fechou o primeiro quarto em vantagem: 25×19.

Rafa Moreira acertou quatro cestas de três só no primeiro quarto de partida – Foto: Matheus Maranhão/Agência EB

Com uma pulga atrás da orelha, Gustavo de Conti tentava, a todo custo, virar o jogo. Era comum ver o técnico adversário esbravejando com o time e acenando para os reservas o que os atletas em quadra tinham que fazer. Ricardo Oliveira não ficava atrás. Sabia que esse era um dos jogos mais importantes de sua equipe e também estava inquieto no banco de reservas. Esse foi o cenário visto por quem acompanhava o jogo. 

Dentro de quadra, a partida seguiu disputada. O time que dominava o jogo trocava a cada momento, mas sempre com o Brasília à frente no placar. Mesmo que o Flamengo conseguisse abrir certa vantagem no quarto, os donos da casa não largavam o osso e continuavam liderando a disputa, que, nesse momento, já tomava traços dramáticos e brindavam, ainda mais, os torcedores presentes com belas defesas, belos arremessos e belas cestas. 

Gustavo de Conti lamentava a cesta de três convertida pelo Universo/Brasília – Foto: Matheus Maranhão/Agência EB

E não importava aqueles que estavam em quadra, o bola caia para os dois lados. E foi o Brasília que seguia a frente. Assim foram para o intervalo e assim foram para o último quarto. As parciais mostravam que o Flamengo era ligeiramente superior – 21×19 no segundo e 22×20 no terceiro. O resultado ainda mostrava a garra e bravura dos candangos, que se mantiveram na frente por dois pontos, 64×62.

Diferente do que se via até esse momento, o Brasília começou a pegar pilha e a se irritar. Por mais que culpem erros da arbitragem, como, por exemplo, expulsar Nezinho por reclamação veemente ou mudar pontuações – como aconteceu em um lance com Ronald, em que foram creditados três pontos e depois reduzidos para dois -, o Universo se perdeu em quadra, também fisicamente. 

Era o que o Flamengo precisava. Em toda a partida, foi a primeira vez que os visitantes passaram a frente no placar. Em pouco tempo, abriram 10×1 no quarto e, consequentemente, sete pontos na dianteira. Bem que o Universo tentou. Foi forte, foi guerreiro e mostrou que não vem para brincadeira. Pulou à frente novamente, mas cedeu à vitória ao Rubro Negro. Vitória no quarto por 24×17 e no jogo, por 86×81. 

O jogo, que começou com poucas faltas, acabou decidindo nos quartos derradeiros e, talvez essa tenha sido a grande responsável pela derrota. Ao último sopro no apito, foram 33 lances livres para o Flamengo, 26 convertidos. Foram 14 lances livres para o Universo, 10 convertidos.

Quem se programou para assistir um belo basquetebol na sexta-feira a noite, não se arrependeu. Foi brindado com lindos lances, cestas incríveis e uma bela partida. E, se ainda tinha alguém que duvidava o que o Universo/Brasília poderia fazer no NBB, agora não tem mais. Esse foi aquele jogo para se colocar como um dos melhores da temporada. Um time atual campeão brasileiro e carioca, contra outra que caiu nas oitavas de final da temporada passada e com um técnico que assumiu dez dias antes da competição.

“Eu estou muito orgulhoso do nosso time. Os rapazes jogaram muito. Nós jogamos contra uma das melhores equipes da América do Sul e eu acho que eles merecem todo o aplauso. O final é consequência de jogo: qualquer um poderia ter ganho. Acho que nosso time está em uma crescente, o nosso trabalho vai crescer e, se Deus quiser, vamos dar muita alegria ainda a essa população”, ressaltou o técnico do Universo/Brasília, Ricardo Oliveira.

O próximo jogo do Brasília será no dia 28 deste mês, contra o Pato Basquete, no Paraná. Já o Flamengo, joga contra o Paulistano, aqui mesmo em Brasília, no próximo dia 22, a partir das 19h. 

Gabriel Lima é jornalista e editor executivo da Esportes Brasília. Já cobriu uma Copa do Mundo da FIFA (2019).

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

P