O Cruzeiro se livrou de perder três pontos na Segundinha 2019. Isso porquê a equipe que está na sexta posição, com nove pontos ganhos, foi denunciada pelo Tribunal de Justiça Desportiva do DF.

De acordo com a súmula da partida entre CFZ Brasília e Cruzeiro, válida pela terceira rodada da segunda divisão local, o árbitro Vanderlei Soares interrompeu a partida aos 11 minutos do segundo tempo por uma atitude que veio das arquibancadas.

O motivo teria sido uma manifestação homofóbica feita por parte da torcida do carcará que acompanhava o jogo atrás da meta do goleiro Renato Vinícius, do CFZ Brasília. Segundo o documento, alguém teria gritado a expressão “Goleiro, mão de bicha”.

Vanderlei parou o jogo e comunicou o fato ao delegado da partida, José Roberto Gonçalves, que na sequência, pediu a um membro da equipe de seguranças que estava no estádio JK, no Paranoá, que fosse até a torcida do Cruzeiro e pedisse que os torcedores não repetissem tal ato. Após os torcedores concordarem, o jogo voltou a acontecer normalmente e, na ocasião, o carcará venceu por 2×1.

Mas não adiantou. O Cruzeiro foi denunciado pelo TJD/DF, com base no Parágrafo Segundo do Artigo 243-G do Còdigo Brasileiro de Justiça Desportiva (Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência).

No julgamento do caso, realizado nesta terça-feira (01) no Tribunal de Justiça Desportiva, o Cruzeiro acabou absolvido pela maioria de votos. O único que destoou dos votos foi o auditor Fernando Silva Junior, que pediu a perda de três pontos e multa de R$ 10 mil.

Desta maneira, o carcará continua na sexta posição, com nove pontos ganhos. Na sétima rodada da Segundinha 2019, o Cruzeiro visita o Legião. O jogo acontece neste sábado (05), às 11h, no estádio Serra do Lago, em Luziânia/GO.