Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Decreto permite retorno do público a jogos de futebol na capital federal

Escrito em

Colaboraram Sérgio Porto e Gabriel Spies
Foto: Marco Antônio Tchefy/Agência EB
Atualizada em 16/07/21 às 22:32

07 de março de 2020. O Distrito Federal registra o primeiro caso de Covid-19 na capital federal. Um ano, quatro meses e oito dias depois, o Governo do DF autorizou o retorno da presença de público aos estádios candangos.

A atualização do decreto que autoriza a retomada de público nas partidas foi divulgada por meio de edição extra do Diário Oficial do DF nesta quinta-feira (15). Com isso, o estádio Nacional Mané Garrincha poderá receber os torcedores na partida da próxima quarta-feira (21), quando Flamengo e Defensa y Justicia vão jogar pela Libertadores.

O texto afirma que apenas 25% do estádio poderá receber público. E os torcedores deverão apresentar o cartão de vacinação com a confirmação das duas doses aplicadas ou um resultado de teste de Covid-19 RT-PCR, feito 48 horas antes do evento.

Quem for aos estádios pode portar consigo álcool em gel, limitado em 100ml e o uso de máscaras será obrigatório a todos que estiverem no local.

Menores de 18 anos, gestantes e pessoas com comorbidades ficam proibidos de ingressar os palcos esportivos. Além disso, os torcedores só podem estar em grupos de até, no máximo, seis pessoas. Alimentos e bebidas não poderão ser vendidos nas áreas externas dos estádios e os ingressos deverão ser vendidos exclusivamente on-line.

Quem não seguir as normas poderá ser multado em mil reais. Já os organizadores podem receber pena pecuniária de R$ 100 mil.

Brasileirão segue sem público

O decreto publicado nesta quinta-feira (15) ainda não contempla as partidas do Campeonato Brasileiro, uma vez que a Confederação Brasileira de Futebol não permite público nas partidas oficiais das quatro divisões.

Este é um empecilho que o Gama, primeiro time a jogar sob normas deste decreto, tenta resolver. Em entrevista à Esportes Brasília, o presidente do alviverde, Weber Magalhães, explicou que tem muita cautela para liberar o público no estádio para a partida deste sábado (17), diante do Goianésia/GO, pela sétima rodada do Brasileirão Série D.

“Pra nós, de Brasília, foi liberado, mas não posso passar por cima da CBF e da Federação (de Futebol do DF). Pra nós é muito ruim. O Gama precisa do torcedor no estádio, só que na CBF, não autorizaram ainda. Mas, se liberar, temos que ter um prazo para adequar às normas e também sermos organizados”, avalia o dirigente.

Questionado se daria tempo, caso a CBF autorizasse a entrada dos torcedores, Weber é direto: não dá tempo. “E se me autorizarem amanhã, não dá tempo pra organizar tudo. Tenho que ter, no mínimo, o prazo para me organizar e organizar a logística. Tudo dentro da transparência e do protocolo”, ressalta.

Na opinião de Weber, a partida da próxima quarta-feira (21), entre Flamengo e Defensa y Justicia, pela Conmebol Libertadores, poderá ser um divisor de águas. “No entanto, é um momento de alerta, pois foi liberado o público e queremos ver como Brasília vai se comportar com o público. A capital federal vai ter que dar um exemplo para todo o país”, diz o presidente alviverde.

Até aqui, de acordo com números da Secretaria de Saúde do DF, foram 438.864 pessoas contaminadas com a Covid-19, com 9,4 mil óbitos. Cerca de 39% da população candanga tomou a primeira dose da vacina, mas apenas 13,81% estão devidamente imunizadas contra o coronavírus.

Confira as regras para quem vai assistir ao jogo desta quarta-feira (21):

  • Apresentação de comprovante original com segunda dose ou dose única (Janssen), aplicada há, pelo menos, 15 dias; ou
  • Resultado negativo para Covid, emitido com até 48 horas de antecedência;
  • Proibida a entrada de menores de 18 anos e gestantes;
  • Distância mínima entre os grupos de, no máximo, 6 pessoas;
  • Ocupação de, no máximo, 25% da capacidade do estádio;
  • Proibição do comércio de bebidas e alimentos fora das áreas específicas para o consumo;
  • Venda de ingresso exclusivamente online;
  • Uso de máscara obrigatório (exceto para atletas e árbitros em campo).

Rener Lopes é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília (UCB); Atua na mídia esportiva desde 2006. Já teve passagens pelas rádios Paranoá FM, Comunidade FM do Gama, Transamérica FM Brasília, Bandeirantes AM Brasília e Ativa FM Brasília. Tem no currículo três olimpíadas (Atenas 2004, Londres 2012 e Rio 2016), duas Copas do Mundo (Brasil 2014 e 2019) e uma Copa América (Brasil 2019).

Continue Reading