Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Assim como o Flamengo, Gama quer torcida no estádio Mané Garrincha

Escrito em

Nesta série D do Campeonato Brasileiro, um clube que vem sendo prejudicado sistematicamente é o Gama. Em função da pandemia da Covid-19, o alviverde candango teve a praça esportiva interditada para construção de um hospital de campanha. Com isso, os jogos foram remanejados para o estádio Nacional Mané Garrincha. Porém, em função da Copa América, mais uma vez o Gama ficou sem teto. Foi atuar no estádio Abadião, na cidade de Ceilândia.

Passada a competição sul-americana, agora o estádio Nacional Mané Garrincha está de volta para que – finalmente – o Gama possa atuar na série D do brasileiro. No entanto, um novo ingrediente motivou a diretoria, comissão técnica, jogadores e torcida gamense a reivindicar a presença de torcedores nos jogos do clube candango. O poderoso Flamengo, clube do coração do Governador de Brasília, Ibaneis Rocha, quer que a CONMEBOL libere a presença de torcida nos jogos pela Libertadores da América em que o rubro-negro carioca for mandante.

Baseado neste desejo do Flamengo, o Gama realiza um movimento pedindo que a praça esportiva também possa receber torcedores gamenses em suas partidas pela série D.

“A questão acerca de um possível retorno das torcidas nos estádios vem sendo amplamente debatida desde o ano passado, quando o Ministério da Saúde chegou a aprovar um estudo da Confederação Brasileiro de Futebol (CBF) que possibilitaria a volta do torcedor aos estádios e arenas de futebol em meio à pandemia de Covid-19. Organizadora do Campeonato Brasileiro, a entidade recebeu o aval do órgão do governo federal, desta forma o processo ficou sob análise de quando e como o plano entrará em ação”, diz a diretoria gamense em uma postagem no site oficial do clube.

“Com o avanço da vacinação e a diminuição no número de casos e mortes por Covid-19, a maioria dos times quer o retorno do torcedor a partir de agosto. A presença da torcida significa mais receitas para os combalidos cofres de clubes de todas as divisões. O Gama vem trabalhando em busca de parcerias e patrocínios para sanar os problemas causados pela pandemia, mas carece de mais atenção do governo para o futebol local. Estamos sem estádio e sem torcida! Futebol de Brasília precisa de mais apoio”, completa a nota.

O Gama volta a campo no próximo sábado (17), frente ao Goianésia/GO, às 16 horas, no estádio Nacional Mané Garrincha, em jogo válido pela sétima rodada da série D do brasileiro. O clube candango ocupa a sexta posição, com cinco pontos ganhos.

Natural de Pelotas/RS, Sérgio Porto é jornalista com passagem pelas rádios Planalto AM, Clube AM, Nossa FM, Jovem Pan Brasil e DF10, parceira da Esportes Brasília. Também atua como repórter freelancer em diversas emissoras de rádio do país.

Continue Reading