De Goiânia/GO – Na manhã deste sábado (02), a seleção brasileira de vôlei masculino voltou à quadra para jogar o segundo jogo da etapa brasileira da Liga das Nações. Jogando no Goiânia Arena, na capital goiana, o Brasil enfrentou a seleção japonesa e venceu por três sets a zero, com parciais de 26×24, 25×19 e 25×20, em 1h55min. O oposto Wallace foi o maior pontuador pela seleção brasileira, com 15 pontos. Com o Brasil assumiu a liderança provisória da competição com 13 pontos.

A equipe que iniciou a partida neste sábado foi totalmente diferente da equipe que começou o jogo diante da Coreia do Sul. Entraram como titulares: o levantador Bruno, o oposto Wallace, os centrais Mauricio Souza e Lucão, os ponteiros Douglas Souza e Mauricio Borges e o líbero Thales.

Jogando em um horário pouco comum (08h30), a seleção brasileira começou a partida com muitos erros, principalmente no saque e com uma equipe japonesa pontuando mais no ataque. Porém, o Brasil foi mais eficiente e fechou a parcial pela diferença mínima em 26×24. A partir do segundo set, a seleção brasileira, mesmo continuando a errar muito saque, melhorou em outros fundamentos e passou a ter o controle da partida, vencendo a segunda parcial com certa tranquilidade em 25×19.

No intervalo do segundo para o terceiro set, caiu a energia no ginásio e o jogo ficou paralisado por cerca de trinta minutos após uma sobrecarga no gerador do Goiânia Arena. Para o levantador Bruno, o ocorrido acaba esfriando a equipe que vinha em um ritmo, mas garante que o time tem de ficar atento a todas as situações.

“Não é muito bom o jogo ficar parado, sempre atrapalha um pouco, porque você está em um ritmo, à partida ficou parada quase meia hora e acaba dando uma esfriada, mas são coisas que acabam acontecendo, então temos que estar prontos para qualquer tipo de situação”, ressaltou o capitão da seleção brasileira.

A longa parada não afetou o desempenho da seleção brasileira, que voltou na mesma pegada no terceiro set. O Brasil já começou o set abrindo 14×10 e manteve a tranquilidade pra fechar o set em 25×20 e vencer a partida por três sets a zero.

Para o treinador da seleção brasileira, Renan Dal Zotto, mesmo com a partida sendo realizada em um horário que não é o habitual, os jogadores corresponderam bem. “A própria equipe japonesa reclamou do horário, dizendo que não é habitual jogar às 8h35. O importante é que a garotada fez o que tinha que fazer. Mérito total dos atletas, que chegaram bem pra esse jogo, focados, concentrados. Então, o mais importante é isso, pensar no jogo e não se preocupar com o extra quadra. O jogo estava marcado para às 8h35, um horário estranho, mas não teve problema algum”, ressaltou o técnico.

Já para o central Lucão, o horário incomum da partida não foi empecilho para o desempenho da seleção brasileira na partida. “Nós não mudamos em nada na nossa preparação, nós viemos do fuso horário da Europa, teoricamente esta todo mundo acordando um pouco cedo, mas nós estamos acostumados em Saquarema a treinar nesse horário então acredito que não teve muita dificuldade não”, completou o central da seleção brasileira.

Brasil venceu o Japão por 3 sets a 0 em um horário pouco comum: oito e meia da manhã. Técnico e jogadores afirmam que este não foi empecilho - Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV
Brasil venceu o Japão por 3 sets a 0 em um horário pouco comum: oito e meia da manhã. Técnico e jogadores afirmam que este não foi empecilho – Foto: Wander Roberto/Inovafoto/CBV

O JOGO
No primeiro set, foi a seleção japonesa quem começou abrindo vantagem no placar em 5×3, mas a seleção brasileira logo empatou depois de um ace de Mauricio Borges. Depois de um erro de saque de Bruno e um ace da equipe japonesa, os visitantes voltaram a abrir vantagem em 11×9. Contudo, a seleção brasileira logo empatou após um ataque de Wallace.

O Brasil passou a frente no placar pela primeira vez depois de um ponto de bloqueio de Douglas Souza. A parcial ficou empatada até 24×24 quando, depois de um ataque do oposto Evandro, os donos da casa fecharam a primeira parcial por 26×24 e abriram um set a zero na partida.

No segundo set, foi o Brasil quem começou abrindo vantagem após um erro de ataque da seleção japonesa, fazendo 4×2 no placar. A seleção brasileira chegou a primeira parada técnica vencendo por 8×4 após um ponto de ataque de Douglas Souza. O Brasil continuou impondo o jogo e abriu uma vantagem ainda maior, em 11×5, obrigando os japoneses a pedirem tempo. A seleção japonesa chegou a ensaiar uma reação depois de emplacar dois aces consecutivos diminuindo a diferença em 19×15. Mas o Brasil manteve a calma para fechar a parcial em 25×19 e abrir dois sets a zero na partida.

No terceiro set, após a paralisação por conta da queda de energia, a partida reiniciou com a seleção brasileira abrindo a vantagem mínima em 7×5. O Brasil ampliou a distancia no placar depois de Wallace pontuar no ataque após um rally e um ace convertido pelo próprio jogador, abrindo 12×8 na parcial e obrigando a seleção japonesa a pedir tempo técnico.

Após a parada, o Brasil manteve o ritmo de jogo e, com certa tranquilidade, após abrir uma boa vantagem, a seleção comandada pelo treinador Renan Dal Zotto fechou o terceiro set em 25×20 e venceu a partida por três sets a zero.

A seleção brasileira encerra a participação na etapa nacional da Liga das Nações contra a seleção dos EUA. A partida acontece neste domingo (03), às 12h40, no ginásio Goiânia Arena.

Compartilhar