Depois de uma campanha histórica na temporada passada, quando alcançou as quartas de final da Superliga Feminina, o Brasília Vôlei se desmontou. Jogadoras importantes como Macris (melhor levantadora da edição 2016/2017), Amanda Campos (ponteira responsável por 306 pontos na última temporada) e Paula Pequeno (que defendeu as cores do time candango por cinco anos) se transferiram para outros clubes. Além disso, o técnico Anderson Rodrigues foi outro que deixou a equipe, com destino ao vôlei suíço.

Como se a saída de peças fundamentais do elenco não fosse o bastante, o time feminino da capital federal também teve de lidar com o fim do vínculo de um dos seus principais patrocinadores: a Terracap. De qualquer forma, o Brasília Vôlei conseguiu se reestruturar, tem o apoio do Banco de Brasília e um novo elenco já foi apresentado para a próxima edição da Superliga.

Do plantel da última temporada, apenas quatro jogadoras continuam na equipe brasiliense: Mari Helen (ponteira), Lê Bonardi (oposta), Bia Martins e Vivian Lima (levantadoras). Para integrar o elenco, as meninas do BRB/Brasília terão diversas novidades: Juju Perdigão (líbero, ex-Fluminense); Priscila Souza (ponteira, ex-Valinhos); Malú (central, ex-Praia Clube); Aline (central, ex-Rio do Sul); Carol (central, ex- São Caetano); Fernanda (central, ex-Osasco); Isabela (ponteira, ex-SESI-SP) e Thaynã (levantadora, ex-Brusque). Além disso, o time promoveu cinco atletas da categoria sub-23: Letícia Sousa (ponteira), Wesliane Alves (central), Gabrielle Vitoria (ponteira), Natália Gonçalves (ponteira) e Eduarda Santana (líbero).

Para comandar o time, um velho conhecido dos candangos: Sérgio Negrão, que treinou o clube entre 2013 e 2015. De volta ao Brasília, ele demonstra empolgação com o desafio. “Meu retorno ao cargo de técnico está sendo muito prazeroso. Fui treinador durante 30 anos e gosto muito de fazer o que faço”, afirmou, por meio da assessoria de imprensa.

Sérgio Negrão (D) assume equipe após saída de Anderson Rodrigues (E) para a Suiça - Foto: Felipe Costa/Ponto Marketing Esportivo
Sérgio Negrão (D) assume equipe após saída de Anderson Rodrigues (E) para a Suiça – Foto: Felipe Costa/Ponto Marketing Esportivo

A palavra de quem ficou
As novas peças do elenco, em especial as mais experientes, também estão animadas com o clube do DF. Um dos exemplos é a central Aline, que destacou a importância do compartilhamento de experiências com as atletas mais jovens. “É um elenco jovem que gosta bastante de trabalhar. Podemos tirar proveito disso. Temos a Vivian que tem 17 anos – o que ela tem de idade eu tenho de vôlei, por exemplo – e essa troca é positiva. Todo momento que eu posso dar alguma dica ou dizer algo útil, elas me ouvem e agradecem. Eu, Priscila e Mari assumimos essa função de ajudar as mais novas e a aceitamos de bom grado”, disse.

A ponteira Mari Helen reforça o pensamento de Aline, e diz que “as meninas que chegam vêm com a expectativa alta, e felizes de estar aqui pelo que já foi construído nos anos anteriores”. Além disso, a jogadora mais velha do clube conta que o elenco tem bastante qualidade. “Vejo algumas atletas com muito potencial e, principalmente, vontade. Isso me cativa e conquista todo mundo a treinar mais e evoluir sempre”, comentou.

A grande joia do Brasília é a levantadora Vivian Lima, que tem apenas 17 anos. Bastante elogiada por Anderson e Sérgio, a garota pode ser uma das mais jovens titulares da Superliga, e promete fazer uma boa temporada pelo clube. “Tive uma experiência boa na temporada passada e foi um grande aprendizado jogar do lado de atletas consagradas. Quero aprender mais com as novas colegas e espero desempenhar um papel importante para o time neste ano”, explicou.

Quanto aos colaboradores do time, o Brasília Vôlei renovou com quase todos os patrocinadores, à exceção da Terracap. Dessa forma, o patrocinador máster da equipe passou a ser o BRB. Contundo, a busca por outros apoiadores e investidores ainda continua.

Segundo Negrão, “a princípio este é o elenco. Só pensaremos em reforço caso entre algum patrocínio novo. Com o dinheiro que tínhamos, deu pra contratar essas jogadoras. No momento estamos negociando possíveis novos patrocinadores, com um diferencial, que é o projeto incentivado. Isso permite que os empresários patrocinem com o imposto de renda, e não mais com verba de marketing. Estamos animados em conseguir algum investidor”.

Compartilhar