De Goiânia/GO – Na semana de abertura da Liga das Nações, o Brasil saiu da Sérvia com duas vitórias e uma derrota. A equipe seguiu para Goiânia para a segunda semana do torneio e, até agora, o saldo é de duas vitórias e nenhum set perdido. O próximo adversário é a seleção norte americana no domingo (03), às 12h40, no Goiânia Arena.

Para o capitão Bruninho, a partida tem tudo pra ser diferente dos dois jogos anteriores. “Nós jogamos com duas seleções da escola asiática, agora vamos enfrentar a seleção americana que é de uma escola completamente diferente. Uma equipe que joga de forma agressiva tem um saque muito forte, um bloqueio pesado. Vai ser um jogo muito duro, mas nós estamos prontos para a partida”, ressaltou o levantador.

A partida, além de ser um clássico do voleibol mundial, tem um impacto direto na classificação do torneio, já que a seleção norte americana continua invicta na competição. Para Bruninho, o jogo é essencial para que seleção chegue à fase final do torneio em Lille na França. “Nosso primeiro objetivo é classificar para a fase final. Então, qualquer ponto que nossa equipe some é importante, querendo ou não é um concorrente direto. Eles ainda não perderam, seria essencial conseguir essa vitória amanha”, concluiu o capitão da seleção brasileira.

Para o técnico do Brasil, Renan Dal Zotto, nessa fase da competição o mais importante é encontrar a formação ideal da equipe para chegar bem nas próximas semanas. “Nós vamos ver como a equipe dos EUA vai se portar hoje, vamos estudar eles um pouco mais. O mais importante é que nesse inicio de competição temos de concentrar no nosso time, achar uma formação ideal, por isso todos tiveram a oportunidade de jogar, certamente vai haver mais mudanças novamente, mas já com um modelo mais próximo do que eu imagino do sexteto que vai dar continuidade nessa Liga das Nações”, resumiu o treinador.

Após cinco partidas disputadas em duas semanas, o treinador da seleção brasileira afirma que a equipe tem muito que evoluir ainda, mas que o desempenho individual dos atletas a este ponto do torneio é satisfatório. “O desempenho individual sim eu estou satisfeito, coletivamente não, tem muito que melhorar ainda. O sistema de bloqueio e defesa, contra ataque precisamos ter um pouco mais de firmeza, nós tivemos um numero alto de erros de saque hoje contra o Japão. Pra vencer a equipe americana amanha nossos fundamentos precisam funcionar na plenitude de todos eles”, explica o técnico brasileiro.

A seleção brasileira encerra a sua participação no Brasil contra os EUA. A partida acontece neste domingo (03), às 12h40, no ginásio Goiânia Arena.

Compartilhar