Fonte: Comitê Olímpico Brasileiro

A Cerimônia de Abertura dos Jogos Escolares da Juventude Brasília 2017 só acontece na quinta-feira, dia 16, às 18hs, no Ginásio Nilson Nelson, mas a Capital Federal já está pronta para receber os quase 4 mil alunos-atletas de 1.367 escolas públicas e privadas de todo o Brasil. Os jovens de 15 a 17 anos, que começam a desembarcar na cidade nesta quarta-feira, dia 15, não vão apenas competir, mas também aprender com as diversas atividades sócio-culturais e educativas que fazem parte do evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).
No Centro de Convivência, montado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, os jovens contarão com uma programação especial. Antes e depois das refeições, vão interagir num espaço criado só para eles. Um espaço que conta com: lan house, biblioteca, exposição de medalhas, troféus, Tocha Olímpica, uniformes do Time Brasil, uma atração interativa denominada “Formando campeões”, clínica de dança, um painel interativo de LED, estandes da Agência Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), com ações sobre o jogo limpo, da ONU Mulher, da Rede Globo, e um espaço com mesas de totó e tênis de mesa.
“Os jovens poderão experimentar novos esportes, participar de desafios no palco como quiz sobre os nossos Embaixadores, sobre sustentabilidade e os Jogos Olímpicos. Eles assistirão também a apresentações culturais e folclóricas, shows com repertório diversificado de ritmos. Além disso, terão a oportunidade de interagir com atletas olímpicos e pan-americanos de destaque internacional. A programação é muito intensa”, afirmou Paula Hernandez, gerente de atividades complementares dos Jogos Escolares da Juventude.
Jogos acontecem na capital federal a partir desta quinta-feira -  Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
Jogos acontecem na capital federal a partir desta quinta-feira –
Foto: Washington Alves/Exemplus/COB
A programação também incluirá clínicas esportivas de rugby e da nova modalidade olímpica, o basquete 3 x 3. Shows com as bandas Scalene (premiada com o Grammy Latino de melhor álbum de rock em língua portuguesa com ‘Éter’), Maria Vai Casoutras (formada por mulheres percussionistas), Patubatê (mistura sons de latas, tonéis, baldes, panelas e até peças de automóveis), Quadrilha Xodó do Cerrado, que resgata a cultura regional brasileira e é formada por 40 alunos da escola Nossa Senhora de Fátima, de Planaltina, são alguns dos destaques do dia a dia que agitará o palco montado no Centro de Convivência.
O palco fica ao lado do refeitório, que servirá cerca de 50 mil refeições durante todo o evento. Parte extremamente importante na vida de um atleta, a alimentação dos jovens participantes dos Jogos Escolares da Juventude também é tratada com muito carinho pelo COB. As nutricionistas Helen Moura e Osana Campos são as responsáveis por orientar a alimentação dos jovens atletas. E os números impressionam.
“A comida tem tempero mineiro. Serviremos uma média de 2.500 pessoas por refeição. São atletas, então teremos dois tipos de proteínas. Eles precisam de muita energia também e uma guarnição como purê de batata para acompanhar é sempre benvinda, além do arroz, feijão e salada. De sobremesa, teremos frutas, mas todos os dias faremos um doce especial. Por dia serão consumidos cerca de 500 kg de arroz, 180 kg de feijão, 1.200 kg de carne, entre outros itens”, disse Osana.
Como as quantidades são enormes e os resíduos são descartados, o Comitê Organizador dos Jogos Escolares trabalha intensamente a parte de sustentabilidade com os jovens atletas. Responsável pelo programa de sustentabilidade, Beatriz Yu Marins afirmou que evitar o desperdício de comida é tratado como prioridade pela organização dos Jogos.
“O programa de sustentabilidade dos Jogos Escolares cresce a cada edição. As crianças recebem squeezes do evento diminuindo muito o uso de copos plásticos e fazemos ações constantes”, disse Yu Marins, que destacou ainda o plantio de 2.200 mudas de árvores, em ação inédita do Comitê Organizador dos Jogos Escolares.
“Temos plantios de árvores em todos os locais que recebem a competição, mas, pela primeira vez, o evento vai neutralizar totalmente a emissão de carbono. Serão plantadas 2.200 mudas de árvores nativas do serrado brasileiro em um momento chave, poucas semanas após o incêndio que destruiu parte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros”, lembrou Beatriz.
Os Jogos Escolares de Brasília contarão ainda com seis atletas do Japão, convidados pelo COB, que participarão das provas de atletismo e natação. Além destas modalidades, o evento terá disputas no badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, lutas, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.  Ao todo, os Jogos envolvem quase 6 mil pessoas, contando árbitros, voluntários e o Comitê Organizador.
Tendo como principal objetivo a inserção social dos jovens através do esporte, os Jogos Escolares também se consolidaram como o mais importante evento de detecção de talentos para o esporte nacional. Na delegação brasileira dos últimos Jogos Sul-americanos da Juventude, disputados em outubro deste ano, 53 atletas eram provenientes da competição escolar. O Brasil conquistou 152 medalhas na competição e muitos destes atletas estarão em Brasília.
Nomes como Sarah Menezes, Mayra Aguiar, Hugo Calderano, Raulzinho, Ana Claudia Lemos e Leonardo de Deus, que integraram o Time Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, também deram seus primeiros passos no esporte nos Jogos Escolares. Ao todo, foram 52 atletas oriundos dos Jogos Escolares no Rio 2016. Até uma medalhista em Jogos Paralímpicos – Bruna Alexandre, também do tênis de mesa – já passou pela competição escolar.
Muitos dos talentos revelados em Brasília poderão ainda integrar a delegação brasileira nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires, em 2018.
Compartilhar