Siga Nossas Redes Sociais

Futsal

Na prorrogação, ARUC bate Cresspom e é campeã brasiliense de futsal após 38 anos

Escrito em

A tarde do último sábado foi de grande emoção para quem acompanhou o jogo entre ARUC e Cresspom, válido pela grande final do Campeonato Brasiliense de Futsal.

A partida, que teve transmissão da Esportes Brasília, foi decidida apenas na prorrogação. O Cresspom precisava vencer o jogo no tempo normal para ainda sonhar com o título no tempo extra. À ARUC restava vencer nos 40 minutos de partida para conquistar o caneco.

Bebê abriu o placar para a ARUC aos cinco minutos de jogo. E o primeiro tempo se resumiu a este gol. Na volta dos vestiários, o time do Cruzeiro levou apenas 45 segundos para ampliar o marcador com Barão, após desvio na cobrança de escanteio.

O resultado de 2×0 dava o título com tranquilidade à ARUC. No entanto, depois da expulsão de Weverton, o Cresspom encontrou forças para descontar, empatar e virar a partida.

A estrela de William brilhou restando oito minutos para o fim do jogo, anotando o primeiro gol do Cresspom numa falha da defesa da ARUC. Aplicando o goleiro-linha, o time da Polícia Militar empatou o jogo após uma troca de passes que sobrou para William, desviando para as redes.

Faltavam cinco minutos para o fim da partida e o placar em 2×2 ainda garantia o título para a ARUC. Mas, restando um minuto para soar a sirene, William encheu o pé e fez o terceiro gol do Cresspom, confirmando a vitória por 3×2. Com isso, o jogo foi para a prorrogação.

ARUC saiu na frente, mas tomou a virada, levando o jogo para a prorrogação – Foto: Rafael Fernandes/ARUC

Prorrogação cheia de emoção

No primeiro tempo extra, Paulo Victor recebeu passe na grande área e bateu cruzado, abrindo o placar para a ARUC. 1×0 no marcador, o que dava o título novamente à equipe do Cruzeiro.

Já no segundo tempo, em busca do empate, o Cresspom pressionou ainda mais a ARUC, com Munim atuando como goleiro-linha. No entanto, após uma falha da defesa, Bebê roubou a bola no centro da quadra e, sem goleiro, apenas chutou e ampliou o placar.

Restando 15 segundos, após contra-ataque rápido de “costa-a-costa”, Bebê aproveitou cruzamento e finalizou para o gol, dando números finais à partida.

“Parabenizar a toda a equipe e agradecer ao elenco que, com união, força e muita força de vontade, saímos campeões. As duas equipes tem muita qualidade e venceu quem fez mais gols”, disse Bebê, da ARUC.

ARUC conquistou o título de campeã brasiliense de futsal depois de 38 anos. A taça foi entregue pelo jornalista Wellington Vareta, que estava no título de 1981 – Foto: Rafael Fernandes/ARUC

Com a vitória, a ARUC conquista o bicampeonato brasiliense de futsal, depois de 38 anos. O último título do time cruzeirense havia sido conquistado em 1981. Agora, a equipe será a representante do Distrito Federal na Taça Brasil de Futsal 2020.

Rener Lopes é jornalista formado pela Universidade Católica de Brasília (UCB); Atua na mídia esportiva desde 2006. Já teve passagens pelas rádios Paranoá FM, Comunidade FM do Gama, Transamérica FM Brasília, Bandeirantes AM Brasília e Ativa FM Brasília. Tem no currículo três olimpíadas (Atenas 2004, Londres 2012 e Rio 2016), duas Copas do Mundo (Brasil 2014 e 2019) e uma Copa América (Brasil 2019).

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *