Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Um raio-x do Candangão 2016

Escrito em

Colaborou Simplício Santos

Já se foram 37 dias, sete rodadas, 36 jogos e algumas definições. Este é o Campeonato Brasiliense de Futebol, que na 41ª edição, é considerado por muitos o mais organizado de todos.

Como estamos na metade da competição, a Esportes Brasília colocou os especialistas em campo e faz, nesta matéria, um diagnóstico completo do que foi a competição até aqui.

Para começar e justificar o rótulo de campeonato mais organizado dos últimos tempos, nenhuma das 36 partidas começou atrasada por falta de policiamento nos estádios ou por falta de ambulância, um fato raro até então.

A única partida que se tem conhecimento de atraso foi entre Santa Maria x Formosa, no último sábado (05), por conta do “dilúvio” que caiu na cidade do Gama. Ponto para a nova Federação de Futebol do Distrito Federal, que se espelhou na organização da ligeira Série B de 2015 e trouxe pontos positivos para o campeonato deste ano.

Como dito no início desse texto, foram realizadas 36 partidas. A rede balançou por 78 vezes, o que dá uma média de 2,16 gols por jogo. O time que mais colocou a bola no fundo das metas adversárias foi o Luziânia: 13 vezes. Em seguida, vem o Brasiliense, com 10 gols.

Dois jogadores dividem o topo da artilharia do Candangão 2016. Rafael Grampola, do Gama, é o maior goleador: balançou as redes por cinco vezes. Já Filipe Cirne, do Ceilândia, fez quatro gols.

As defesas menos vazadas são do Gama e do Ceilândia: os arqueiros Pereira e Léo, respectivamente, sofreram apenas dois gols no campeonato. Em compensação, a defesa do Planaltina é a responsável por tomar mais gols: 13 no total.

As duas maiores goleadas do campeonato foram na primeira (Brasiliense 5×2 Santa Maria) e a quarta rodadas (Luziânia 4×0 Sobradinho).

Times faltosos e advertidos
Nas 36 partidas, por conta de faltas e outras infrações cometidas pelos jogadores, a arbitragem não teve dó e aplicou cartões amarelos em todas os jogos. A curiosidade fica por conta da primeira rodada, onde nenhuma equipe recebeu cartão vermelho.

Em compensação, até a sexta rodada, foram aplicados 198 cartões amarelos e 21 cartões vermelhos. A equipe que mais foi advertida foi o Cruzeiro, com 30 cartões amarelos. Já o time que teve mais jogadores expulsos foi o Brasiliense, com cinco atletas.

O time mais disciplinado da competição é o Paracatu, com apenas 13 cartões amarelos, seguido pelo Formosa Esporte, com 14 cartões amarelos, e o Luziânia, com 15 cartões. Confira a seguir o “ranking da indisciplina”:

Cruzeiro – 30 c.a. e 04 c.v.
Brasília – 19 c.a. e 01 c.v.
Atlético Taguatinga – 18 c.a. e 02 c.v.
Planaltina – 18 c.a. e 01 c.v.
Gama – 15 c.a. e 02 c.v.
Sobradinho – 14 c.a. e 04 c.v.
Ceilândia – 14 c.a. e 02.v.
Brasiliense – 12 c.a. e 05 c.v.
Santa Maria – 16 c.a.
Luziânia – 15 c.a.
Formosa – 14 c.a.
Paracatu – 13 c.a.

Maior público do campeonato foi registrado no estádio Bezerrão, no Gama - Foto: Carlos Junior Garcia/Arquivo EB

Maior público do campeonato foi registrado no estádio Bezerrão, no Gama – Foto: Carlos Junior Garcia/Arquivo EB

Público nos estádios
Outro item que tem chamado a atenção se refere à presença do público nas arenas do Distrito Federal. Nos sete estádios onde as partidas estão ocorrendo, 30.497 torcedores marcaram presença, uma média de 1,2 mil por partida.

O estádio que recebeu mais torcedores foi o Bezerrão, no Gama. Até aqui, 11.821 pessoas pagaram ingresso para assistir os jogos de Gama e Santa Maria no local.

Confira o público de cada estádio, ressaltando que o jogo entre Atlético Taguatinga x Planaltina foi considerado sem público, por ter sido uma preliminar da partida entre Flamengo x Fluminense pelo Campeonato Carioca:

Bezerrão – 11.821 (média 1.689)
Abadião – 7.160 (média 796)
Serra do Lago – 3.899 (média 650)
Diogão – 2.826 (média 1.413)
Augustinho Lima – 2.646 (média 378)
Mané Garrincha – 1.093 (média 364)
Frei Norberto – 1.052 (média 526)

O Gama foi o time que mais levou torcida até a sexta rodada. Como mandante, o alviverde levou 9.469 torcedores ao Bezerrão, uma média de 3.156 por partida. Confira os demais times.

Gama – 9.469 (média 3.156)
Brasiliense – 4.633 (média 1.158)
Formosa – 2.826 (média 1.413)
Luziânia – 2.718 (Média 906)
Santa Maria – 2.050 (média 683)
Ceilândia – 1.681 (média 560)
Sobradinho – 1.520 (média 507)
Brasília – 1.381 (média 345)
Planaltina – 1.063 (média 532)
Paracatu – 1.052 (média 526)
Taguatinga – 846 (média 282)
Cruzeiro – 365 (média 122)

Rener Lopes é jornalista formado pela UCB. Atua na mídia esportiva desde 2006, com passagens por seis rádios, como narrador e setorista. Tem no currículo três olimpíadas (Atenas 2004, Londres 2012 e Rio 2016), duas Copas do Mundo, duas Copas América. Apresenta o Mais Brasil Esportes na Mais Brasil News FM.

Continue Reading
Clique para deixar seu comentário

Faça seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

P