A 20 dias da estreia do Candangão, o futebol do DF se vê diante de um problema recorrente: a falta de laudos dos estádios locais. Se o campeonato começasse hoje, apenas o Serra do Lago e o Frei Norberto, estádios de Luziânia e Paracatu, respectivamente, poderiam receber jogos.

De acordo com o blog Drible de Corpo, do Correio Braziliense, o restante dos estádios precisam de amparos no gramado, cabines de imprensa, limpeza, cuidados gerais e até água e luz. O Bezerrão, estádio do Gama, receberia um amistoso do time da casa contra o Botafogo-RJ no próximo domingo (13), mas, por falta de laudos, o encontro foi cancelado. O técnico do alvinegro, Zé Ricardo, já chegou a elogiar o gramado do estádio após jogo da Primeira Liga, em 2017, quando ainda era treinador do Flamengo.

Brasiliense e Taguatinga pretendem voltar a utilizar o Serejão. Nesta semana, operários começaram a realizar obras no estádio. Mané Garrincha, Agostinho Lima e Abadião, que serão utilizados por Capital, Sobradinho, Ceilândia e Bolamense, dependem apenas dos laudos técnicos. O Diogão, em Formosa-GO, precisa de olhar atencioso no gramado e nos alambrados. Apesar da correria, todos estes devem ser regularizados a tempo.

Serejão pode receber jogos de Brasiliense e Taguatinga no Candangão 2019 – Foto: reprodução

Os casos mais complicados são o do estádio JK, no Paranoá-DF, que ainda não tem cabine de imprensa, do Rorizão, em Samambaia-DF, que sofre com problemas judiciais, e do Campo do Defelê, na Vila Planalto-DF, que começou a ser reformado a mando da diretoria do Real, mas ainda só se vê terra no espaço.

Para encontrar soluções, o secretário de esportes do Distrito Federal, Leandro Cruz, deve marcar, em breve, reunião com representantes dos 12 clubes da primeira divisão, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Vigilância Sanitária e da Defesa Civil. Aguardemos os próximos capítulos.

Compartilhar