Por Rener Lopes e Danilo Queiroz
Colaborou João Marcelo

15 de fevereiro de 2018. O estádio Abadião, em Ceilândia, registrou o menor público da história do Candangão, em 44 anos de disputa. A partida, entre Bolamense e Luziânia, com vitória do time goiano por 2×0, teve o número “expressivo” de apenas oito pagantes.

A partida em questão havia batido o recorde de Legião e Ceilandense, do Candangão de 2014. À época, no estádio Bezerrão, apenas nove pessoas foram acompanhar a vitória do time tricolor por 2×1.

Mas, nesta quinta-feira (07), tudo mudou. O palco era o mesmo: o estádio Abadião. O time mandante também era o mesmo: o Bolamense. Desta vez, o adversário era o Real, em partida válida pela sétima rodada do Candangão 2019.

O público registrado foi de 54 presentes. No entanto, apenas um cidadão comprou o ingresso no valor de R$10. As demais 53 testemunhas que receberam uma cortesia, mesmo que fornecida gratuitamente pelo clube, entra normalmente no borderô oficial pelo valor de R$1.

Único ingresso da partida foi o da imagem, vendido a R$10. Regras básicas, como apólice de seguro, não estão estampadas – Foto: Reprodução/Twitter @deprecandangao

Único pagante não era torcedor
A história do irrisório público que compareceu na partida desta quinta-feira fica ainda mais curiosa pelo fato de que a única pessoa que desembolsou o valor cobrado pelo ingresso não foi ao estádio Abadião para torcer por Bolamense ou Real, mas sim para trabalhar.

O solitário pagante da entrada para o jogo estava a serviço de um site de apostas que registra estatísticas de todas as partidas do Candangão e de diversos outros torneios ao redor do Brasil e do mundo.

O fato gerou a curiosidade de vários jornalistas que cobriam o encontro entre a Onça Pintada e o Leão do Planalto. Abordado pela reportagem da Esportes Brasília, o profissional optou por não comentar o fato de ter sido o único pagante do jogo.

Contudo, horas após a proeza, o solitário pagante resolveu falar sobre o assunto. Em uma rede social, o engenheiro eletricista João Marcos Marra, de 25 anos, explicou a situação.

“Quando começou o jogo, ainda não tinham chegado os ingressos. Aí, abriram o portão com os dizeres: ‘Quando chegar, vocês vêm e pagam’. Só eu paguei. Renda: R$10”, revelou Marra.

Recordes negativos de público do Candangão
2019 – Bolamense 0x2 Real – 1 pagante
2018 – Bolamense 0x2 Luziânia – 8 pagantes
2014 – Legião 1×2 Ceilandense – 9 pagantes

O borderô que confirma o recorde negativo ainda não foi divulgado pela Federação de Futebol do Distrito Federal.

Compartilhar