O Estádio Nacional Mané Garrincha é o favorito para receber a mais nova competição da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Supercopa do Brasil. A partida, que não é jogada desde 1991, é disputada entre o campeão brasileiro e o vencedor da Copa do Brasil.

Com a concessão do estádio mais caro construída para a Copa do Mundo para a Arena BSB, o Mané entrou forte na disputa para receber o novo evento da CBF. A gerência do estádio pela Arena BSB tem prazo inicial de 180 dias, mas no fim do ano, há um acordo para que seja assinado uma concessão definitiva e passe a valer um novo acordo.

A ideia é que a Supercopa do Brasil seja a estreia da nova gestora do estádio. Os representantes da Arena BSB, inclusive, já foram recebidos pelo presidente da entidade máxima do futebol brasileiro, Rogério Caboclo, na última semana, segundo apurou o jornalista Marcel Rizzo, do “UOL Esporte”.

A nova competição seria realizada no dia 19 de janeiro, em um domingo, e marcaria o início da temporada do futebol no Brasil em 2020; que a partir do próximo ano, tem previsão de enxugamento do calendário e respeito às datas FIFA.

Retorno

A Supercopa do Brasil não é disputada desde 1991, quando o Corinthians foi campeão ao bater o Flamengo em final de jogo único, no Estádio do Morumbi, por 1×0, gol marcado por Neto. Essa foi apenas a segunda e última edição da competição, que teve a outra disputa realizada em 1990, entre Grêmio e Vasco. O tricolor gaúcho sagrou-se campeão ao vencer os cariocas por 2×0 no placar agregado.

Inicialmente marcado para ocorrer em jogo específico, os confrontos foram realizados também valendo pela fase de grupos da Copa Libertadores da América de 1990. Após um empate em 0x0 em São Januário, no Rio de Janeiro, o Grêmio venceu a segunda partida por 2×0 no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, e ergueu a taça da primeira Supercopa do Brasil.