Com o imbróglio do Caso Júnior rolando, o Formosa não quis esperar e já buscou outro nome experiente para o elenco. Nesta sexta-feira (8), o clube anunciou a contratação do volante Carlos Alberto, de 41 anos.

Carlos Alberto teve passagens importantes por Figueirense e Corinthians. Vestiu também as camisas de Atlético-MG, Goiás, Joinville, entre outros. O último clube do volante foi o Brusque-SC.

Caso de “gato”

Em 2006, vivendo grande fase no Figueirense, a casa de Carlos Alberto caiu. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) descobriu que o jogador mentia a idade em documentações: dizia ter nascido em 1983, quando, na verdade, nasceu em 1978. A adulteração lhe rendeu um ano de suspensão, do qual cumpriu seis meses fora dos gramados e reverteu o restante em pagamento de cestas básicas.

A punição não destruiu a carreira do atleta, não. Pelo contrário: ainda em 2007, ano da punição, Carlos Alberto assinou contrato com o Corinthians. Caiu com o Timão naquele ano, mas a visibilidade foi importante para o jogador.

“Parecido com o Zé Roberto”

Biotipo parecido com o do Zé Roberto. É assim que o vice-presidente do Formosa, Henrique Botelho, define Carlos Alberto. O cartola, entusiasmado, fala sobre a contratação. “Passagens compradas, pré-registro já feito, solicitação de transferência da Federação Catarinense para a do DF já feita… Esse, sim, está tudo certo”, afirmou, fazendo alusão ao caso Júnior, que foi precipitadamente noticiado pela imprensa há semanas.

Sobre a condição física do atleta, bem como a disponibilidade dele para com o Formosa, Henrique comenta: “O jogador está em forma, estava treinando. Tem 41 anos, mas tem o biotipo parecido com o do Zé Roberto (meia ex-Palmeiras, Santos e Seleção Brasileira), fininho, de massa muscular magra”.

Carlos Alberto deve estrear na 5ª rodada do Candangão, como lembra o vice-presidente. “Ele fica conosco até o final da competição. Chega na quarta-feira (13) e estará à disposição na 5ª rodada para enfrentar o Sobradinho”, completou.

Compartilhar