A temporada 2018 ainda não acabou. Mas o Brasiliense, que foi eliminado pelo Campinense/PB da série D do Campeonato Brasileiro, já começa a montar as peças visando 2019. O primeiro reforço é um jogador que já vestiu a camisa do clube na áurea temporada.

Trata-se do atacante Jobson, de 30 anos, que estava parado desde 2015 e retorna ao Brasiliense após 11 anos da última passagem. O último clube do atacante foi o Al-Ittihad/ARA. Jobson deixou o time quando recusou-se a realizar um exame anti-doping, recebendo a suspensão do futebol por três anos.

“O sentimento é de felicidade e de alegria [de retornar]. Por onde eu joguei, sempre torci pelo Brasiliense. O ambiente aqui é legal. Gosto muito de Brasília. Apesar de ser paraense, minha segunda casa é aqui”, disse, em entrevista coletiva.

Jobson garante que quer dar a volta por cima, começando com a volta ao Brasiliense. “Estou com a expectativa de jogar bem e voltar em alto nível. Eu agradeço ao Brasiliense pela oportunidade de retomar a carreira e estou preparado para essa nova etapa. Quero dar a volta por cima e vou treinar bastante para isso”, ressalta.

A negociação vem desde muito tempo. No entanto, o termo foi assinado somente nesta segunda-feira (09). “Sempre vinha falando com o Paulo Henrique (gerente do Brasiliense). Tive outras propostas, mas não tinha como não vir para o Brasiliense. Foi aqui onde tudo começou. Até mesmo porquê, quando estava suspenso, treinei aqui. O meu foco é Brasiliense. Não adianta falar de outro clube e, se eu for para outro time, é consequência do meu trabalho. O foco é ajudar o jacaré a subir”, explica.

Atacante de 30 anos volta ao Brasiliense após 11 anos da última partida com o jacaré do papo amarelo - Foto: Divulgação
Atacante de 30 anos volta ao Brasiliense após 11 anos da última partida com o jacaré do papo amarelo – Foto: Divulgação

Férias? Aqui não.
O Brasiliense encerrou as atividades, como você leu no começo desta matéria. No entanto, o atacante que já teve passagens pelo Botafogo assegura que continua trabalhando para manter a forma física e estar pronto para ficar à disposição do novo treinador, já que Ailton Ferraz foi demitido do comando do jacaré.

“Esse período que o Brasiliense vai ficar parado, muitos estão sendo emprestados ou de férias. Eu não. Estou treinando em dois períodos e estou com uma meta de uma mini-temporada. Acordo todo dia cedo pra isso para, quando estrear, não estar mal fisicamente. A gente sabe que o ritmo de jogo vem com o tempo, mas quero estar pronto”, afirma Jobson.

Resposta às críticas
Jobson está respondendo em liberdade condicional acusado de cometer, em 2016, um crime de estupro de vulnerável. O advogado do jogador, Josenildo Ferreira, informou à reportagem da Esportes Brasília que Jobson está liberado para atuar por qualquer clube e que terá que apresentar-se à Justiça, uma vez por mês, para comprovar as atividades que realiza profissionalmente.

Jobson escolheu vestir a camisa 7 do Brasiliense a partir da temporada 2019 - Foto: Hugo Barreto/Metropoles
Jobson escolheu vestir a camisa 7 do Brasiliense a partir da temporada 2019 – Foto: Hugo Barreto/Metropoles

Apesar deste momento pessoal, o atacante, que escolheu vestir a camisa 7 do jacaré por gostar deste número, diz estar preparado para ouvir as críticas da volta ao futebol. “Eu quero é ouvir as críticas mesmo. Através da crítica é que eu fico mais forte. Se pararem de falar de mim, é porquê estou sendo esquecido. E eu não quero isso”, finaliza Jobson.

Confira a apresentação de Jobson no Brasiliense, transmitida pela Esportes Brasília.

Compartilhar