Siga Nossas Redes Sociais

Futebol

Brasiliense vence nos pênaltis e avança para as oitavas de final da Copa Verde

Escrito em

Foto: Gustavo Moreno/Metropoles.com

Em jogo morno com dezenas de chances perdidas, Jacaré passou nos pênaltis com brilho do goleiro Edmar Sucuri. O 0x0 no tempo normal não derrubou o Brasiliense, que acertou todas as as cobranças e viu o goleiro pegar uma penalidade para decretar a classificação.

Primeiro Tempo

A primeira tentativa foi do Jacaré. Com uma marcação bem postada na defesa, o Rio Branco/ES não dava muitos espaços. Tobinha recebeu na intermediária e girou. O camisa 22 finalizou, mas sem direção. Na sequência, resposta dos capixabas. Boa trama do ataque alvinegro e a bola sobrou nos pés do ataque do Rio Branco/ES. Mas, como (quase) sempre, Sucuri salvou a meta amarela.

Aos nove, chegou de novo o Brasiliense. Levantamento na área de Andrezinho e Vitor Rangel cabeceou entre a dupla de zaga do Rio Branco/ES. O goleiro Bambu foi no cantinho e praticou excelente defesa. Na resposta, Chiquinho foi acionado pelo goleiro no contra ataque, ele tentou encobrir Sucuri, que fez bela recuperação e espalmou pra fora.

Aos 17′ o Jacaré voltou ao ataque. Boa trama pela esquerda e Peu levantou na área. Tobinha apareceu sozinho na pequena área, mas cabeceou pra fora.

O time do Espírito Santo voltou a se fechar bem e o Brasiliense passou a chegar só em chutes de fora da área. Aos 25′ com Alan Mineiro e aos 27′ com Tobinha. As duas sem muito perigo para o goleiro Bambu.

Aos 38 ‘a melhor chance do jogo. Alan Mineiro achou belo passe de cavadinha para Aldo no comando de ataque. O capitão tentou de cobertura, mas o toque foi muito forte e a bola se perdeu pela linha de fundo.

Segunda Etapa

No segundo tempo, logo aos dois minutos, Peu cobrou falta frontal, mas o goleiro Bambu estava lá mais uma vez para salvar o Rio Branco/ES. No intervalo, Alan Carlos sacou Tobinha e Luquinhas e botou Kesley e Maranhão. Com cinco minutos da etapa final, mais uma mudança. Dessa vez por lesão. Saiu Milton Júnior e entrou Ferrugem. 

O volante ex-Corinthians entrou no gás. Em duas roubadas de bola seguidas no meio campo do camisa 21, o Brasiliense construiu uma bela chance de gol. Alan Mineiro recebeu de Ferrugem, costurou a zaga capixaba e bateu no canto. Por um detalhe o Jacaré não abriu o placar.

O Brasiliense, a partir disso, montou uma blitz pra cima do Rio Branco/ES. Vítor Rangel e Bernardo – pouco depois de entrar no lugar de Alan Mineiro – tiveram boas chances da entrada da grande área, mas mandaram pra fora. O Jacaré seguiu na pressão. Logo após a  chuva começar a cair no Serejão, Maranhão levou pro fundo e cruzou de pé direito. Rangel tentou emendar um voleio, porém, a bola se perdeu em tiro de meta.

Os chutes de fora da área seguiram sendo as principais chances do Brasiliense. Aos 34′, Bernardo recebeu, limpou a marcação e bateu forte. Bambu se esticou todo e mandou para escanteio. Um minuto depois, a zaga afastou mal a cobrança de tiro de canto e Jorge Henrique recebeu livre na marca do pênalti. O atacante sentou o pé na bola, mas ela foi pra fora. 

Aos 38′, Railon deu um balão pra cima e Vitor Rangel abriu disputa com o goleiro Bambu. O camisa 1 acertou o atacante do Brasiliense na entrada da área. O árbitro marcou falta e expulsou o goleiro do Rio Branco/ES. Na falta, Peu bateu no meio do gol e o goleiro Diogo espalmou.

No último lance da partida, Peu cobrou escanteio fechado e o ataque amarelo desviou de cabeça na primeira trave, porém, não tinha ninguém para completar pro gol. Final de jogo e disputa de pênaltis no Serejão. 

Pênaltis

Nas penalidades, Bernardo; Jorge Henrique, Vitor Rangel; Maranhão e Peu marcaram para o Brasiliense. Sucuri ainda defendeu a cobrança de Emerson e sacramentou a classificação do Jacaré, que agora enfrenta o Cuiabá nas oitavas de final.

COPA VERDE 2021 – PRIMEIRA FASE
BRASILIENSE 0-0 RIO BRANCO – TEMPO NORMAL
BRASILIENSE 5-3 RIO BRANCO – PÊNALTIS
13.10.21 – ESTÁDIO SEREJÃO – TAGUATINGA/DF

Brasiliense
Sucuri; Andrezinho, Railon, Liel e Peu; Aldo, Milton Jr (Ferrugem) (Jorge Henrique), Alan Mineiro (Bernardo), Tobinha (Kesley), Luquinhas (Maranhão) e Vitor Rangel.
Técnico: Luan Carlos

Rio Branco/ES
Bambu; Lucas, Leonardo Alves, Filipe, Jeanderson; Gil, Erick, Eder Luciano (Diogo), Gerley; Marcos Paulo e Gustavo.
Técnico: Cipriano Alexandre

Gabriel Spies é jornalista formado pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) e é comentarista das transmissões de rádio e televisão da Esportes Brasília.

Continue Reading