Os 3655 torcedores que estiveram no Ginásio Wlamir Marques na noite deste sábado (06), para acompanhar o jogo entre Corinthians e Universo Brasília, viram um jogo espetacular, válido pelas oitavas de final do NBB. Com a lei do ex a todo vapor, Giovannoni e Fuller comandaram o time paulista e, com o jogo indo para prorrogação, venceram os brasilienses por 83×74 e fecharam 2×1 na série melhor de três jogos.

O jogo
Os cinco primeiros minutos começaram pegados. O Corinthians chegou a abrir dois pontos de vantagem (8×6), mas acabou tomando a virada com uma cesta de três de Arthur. Tanto André Germano, quanto Bruno Savignani, mexeram nas equipes com o objetivo de tentar abrir vantagem. Melhor para o time paulista, que venceu o primeiro quarto por 18×15.

Já no segundo quarto, o Corinthians abriu mais ainda a vantagem depois da arbitragem anotar uma falta técnica no técnico André Germano, colocando cinco pontos à frente (22×17). A partir daí, o jogo literalmente “travou”. Por mais de um minuto e meio, a redinha não balançou.

O Universo voltou a pontuar apenas restando cinco minutos para o intervalo, com dois pontos de lance livre convertidos por Arthur. Depois, o time candango retomou as ações da partida e vitou o placar para 27×24. Minutos depois, brilharam as estrelas de Guiherme Giovannoni e Parodi, que brecaram a reação dos visitantes e anotaram nove pontos em três minutos, fechando o primeiro tempo em 33×27.

Na volta dos vestiários, o Universo Brasília foi em busca de tirar a diferença. Com bom trabalho dos estrangeiros Zach Graham e Windl Graterol, a diferença foi caindo aos poucos. Os dois juntos anotaram 13 pontos no período. Do outro lado, Fuller e Humberto chamaram a responsabilidade para o Corinthians. No fim do terceiro quarto, os brasilienses venceram por 19×16, mas os paulistas ainda venciam por 49×46.

O quarto e último período foi emocionante. Com dois minutos jogados, o Universo Brasília passou à frente do marcador (50×49) e o Corinthians foi em busca de retomar o domínio da partida. Mas Windl Graterol e Ronald comandaram o time candango na reação do placar, colocando 56×50.

Restando quatro minutos para o fim do jogo, os paulistas apertaram a marcação e encostaram no placar, colocando 56×54 a favor dos candangos. Com um minuto para o soar final, Humberto cobrou dois lances livres e empatou o jogo em 60 pontos. As duas equipes continuaram tentando, mas com apenas quatro segundos, a última posse de bola era do Universo Brasília. Zach Graham arremessou para tentar de três, mas a bola nem tocou no aro. Assim, o jogo foi para a prorrogação.

Nos cinco minutos de prorrogação, a disputa foi apertada. Mas aí, passou a vigorar a famosa “lei do ex”. Guilherme Giovannoni, que vestiu por muito tempo a camisa de Brasília, chamou a responsabilidade, anotou seis pontos em sequência e arrancou a vibração do torcedor corintiano.

Guiherme marca 17 pontos e Corinthians elimina o Universo Brasília do NBB11 na série melhor de três jogos – Foto: Beto Miller/Agência Corinthians 

Ao lado de Giovannoni, Fuller converteu sete pontos e garantiu a vitória do Corinthians por 83×74, confirmando o alvinegro paulista nas quartas de final do NBB, para enfrentar o Flamengo.

Um dos cestinhas da partida foi Windl Graterol, do Universo Brasília. O camisa 6 se despediu do NBB com um duplo-duplo: 18 pontos e 14 rebotes. O outro foi Zach Graham, também com 18 pontos. O destaque do Corinthians foi Giovannoni. Além dos 17 pontos, ele obteve oito rebotes e deu cinco assistências.

Compartilhar