Em entrevista ao ex-jogador e Youtuber Douglas Viegas, o “Poderosíssimo Ninja”, após a derrota do Universo Brasília para o Pinheiros no segundo turno, o pivô Bruno Fiorotto desabafou sobre a continuação do Novo Basquete Brasil em um cenário mundial onde o Coronavírus contamina milhares de pessoas e campeonatos são paralisados esperando que a pandemia seja contida.

Assim como o NBB anunciou a paralisação do campeonato neste domingo (15), a CBF acaba de confirmar o cancelamento das competições em andamento e a FIBA também suspendeu todas as competições. O jogo das estrelas do NBB também foi adiado.

Fiorotto ressaltou que a diretoria da equipe deixou a decisão de ir para o jogo na mão dos jogadores. “Hoje eu queria agradecer ao nosso patrocinador lá em Brasília, à diretoria que deu todo o respaldo pra gente tomar a decisão de vir pro jogo ou não. É um dia triste, pois era uma grande oportunidade dos atletas mostrarem uma força maior e da Liga apoiar o nosso pedido”, afirmou o jogador.

Contaminação dos jogadores

Além disso, ele falou de um ponto importante na entrevista: por mais que as pessoas não estejam dentro do grupo de risco, é importante não ser contaminado pelo vírus, pois pode-se transmitir para pessoas que estejam dentro desse grupo, principalmente para os familiares mais novos e mais velhos. Dessa forma, é necessário que os jogadores também não sejam expostos a situações de risco, como é o caso das partidas do NBB 19/20.

“Todos nós temos família. Meu time tem muitos jogadores que moram com os pais, com os avós, que são pessoas de idade. Eu to com uma criança de quarenta dias em casa”, ressaltou Fiorotto.

Equipe desfalcada prejudicou

O atleta também falou dos desfalques dentro de quadra e fora dela. “Além do desfalque do Ronald, por motivos dele e totalmente aceitáveis pela equipe, nosso fisioterapeuta não pode vir. Então se, agora à noite, alguém precisar se recuperar, fazer uma muscular, resolver um problema, a gente não tem alguém para fazer isso. Ele trabalha muito, mas está dentro do grupo de risco, então optamos por não fazer ele correr esse risco”, complementou o pivô.

Carlos Eduardo Moreira Ewbank, 63 anos, fisioterapeuta do Universo Brasília, ficou em Brasília para evitar a exposição ao Coronavírus.

Falta de critério e motivos para não paralisação

Bruno Fiorotto questionou a decisão da Liga em adiar a partida de sábado (14) entre Botafogo e Flamengo e manter os jogos no começo da semana. Além disso, comentou sobre a vontade da associação de jogadores em paralisar o campeonato e os possíveis motivos para a continuidade do campeonato. “A associação dos jogadores se pronunciou demonstrando a vontade dos jogadores, não foi uma exigência. Nós nunca exigimos nada. É importante pra todo mundo que aconteça o jogo e o campeonato, mas eu acho que tudo deve ser ouvido, escutado e conversado. […] Eu acho que nessa hora não tem que pesar os fatores de transmissão, de televisão, de patrocínio, financeiro. Se pesam tanto assim, tem que ser passado pra nós isso, porque todo mundo tem capacidade e maturidade pra entender isso”, complementou.

Acesso restrito às partidas

Algumas medidas foram tomadas pela Liga para evitar a exposição de mais pessoas e a contaminação pelo Coronavírus. Os jogos tem acontecido com portões fechados ao público, além de proibir o acesso de familiares dos jogadores e restringir o acesso da imprensa. Inicialmente, a orientação era para acesso somente para assessores de imprensa, fotógrafos das equipes e equipe de transmissão oficial. Após a pressão das rádios, o acesso foi liberado, desde que com o menor número possível de profissionais, mas sem a possibilidade de entrar na quadra para entrevistar jogadores.

No entanto, como citado no início da matéria, pouco antes da publicação, a Liga Nacional de Basquete decidiu pela paralisação do campeonato a partir da próxima segunda, 16. A Liga não estipulou uma data para o retorno da disputa.