Foi eletrizante, foi suado, mas a última comemoração foi do Brasília. Coube a Nezinho arremessar a bola da vitória, que caiu a um segundo do fim do certame. E foi assim que o Universo/Caixa/Brasília derrotou a equipe paulista pelo placar de 84×82 e se livrou, definitivamente, da lanterna do NBB.

O confronto marcou a volta de Guilherme Giovannoni à Brasília, palco em que o ala-pivô se tornou ídolo, além de tricampeão nacional, entre outros títulos. E ele, assim como o Corinthians, não tiveram vida fácil.

Sabendo que precisava da vitória, o Universo partiu para cima dos paulistas. O primeiro quarto (24×22) deu uma amostra do que seria o jogo: disputado e melhor para os brasilienses. Vantagem essa que aumentou, tanto na segunda etapa, quanto na terceira. Essa, que era de apenas dois pontos, passou para 15 pontos, parciais de 27×22 e 22×14.

Até aí, o jogo estava tranquilo. A diferença de pontos era tanta, que nenhum time conseguira até o momento. A vitória parecia certa. Mas, como é de praxe da equipe brasiliense, o branco bateu, a equipe se desestabilizou e o Corinthians cresceu. A lacuna que era grande caiu e o Corinthians empatou o jogo faltando oito segundos para o fim.

O técnico André Germano pediu o tempo que fez a diferença. A equipe voltou diferente e conseguiu sair do sufoco, dando alívio à torcida. Nezinho conseguiu converter dois pontos no último segundo e deu a vitória ao time da casa.

Com os dois pontos somados, a equipe de André Germano se livra da lanterna e segue com o sonho de marcar presença nos playoffs. Com menos jogos que os adversários, a luta pela se garantir na próxima fase continua mais viva do que nunca.

O próximo compromisso do Universo será novamente em casa, contra o Basquete Cearense. A bola começa a quicar a partir das 20h. Já os paulistas recebem o Joinville no dia 15 deste mês.

Compartilhar