Depois de três derrotas nas três primeiras partidas da divisão de acesso para o NBB, o Cerrado Basquete tinha nas mãos a oportunidade perfeita para se reerguer no campeonato: jogar diante da torcida pela primeira vez na temporada.

O adversário era o Unifacisa, que na quarta-feira (07) derrotou o Brasília Búfalos. Mas assim como há dois dias, não deu. Liderados por Rodrigo Piru, que pegou nada menos que 21 rebotes, os paraibanos conquistaram a segunda vitória na Liga Ouro, a segunda contra times candangos, ambas na capital federal.

Os donos da casa iniciaram o jogo com uma tática simples e muito bem definida: impedir ao máximo as ações do americano Cobb, que no último jogo converteu sete bolas da linha de três pontos, além de distribuir sete assistências. Sem tanto espaço para arremessos de fora do garrafão, o americano ficou limitado a 12 pontos na partida.

A solução dos paraibanos foi utilizar o pick and roll para tentar fugir dessa marcação. A tática deu certo: a equipe mandante “bateu cabeça” na hora das trocas, o que deu novas opções aos visitantes. No fim do primeiro quarto, o placar mostrava 22×21 para o Cerrado.

Primeiro quarto foi vencido pelo Cerrado Basquete, que queria a primeira vitória na Liga Ouro - Foto: Carlos Teixeira/Agência EB
Primeiro quarto foi vencido pelo Cerrado Basquete, que queria a primeira vitória na Liga Ouro – Foto: Carlos Teixeira/Agência EB

No segundo período, os mandantes passaram a tentar a infiltração. Em noite pouco inspirada de Paulo, principal destaque do time até aqui, Bruce puxou a responsabilidade e converteu as quatro bolas que tentou. Johnny, que havia começado bem a partida, caiu de produção e pouco fez dali em diante.

Enquanto isso, o Unifacisa trocou os chutes de três por mais movimentação e infiltração. Os times saíram pro intervalo com o placar mostrando 43×41 para a equipe paraibana.

O Cerrado Basquete voltou sonolento do intervalo e viu o Unifacisa abrir uma vantagem maior no placar. A situação revoltou o técnico Alexandre Vianna, que pediu tempo e disparou broncas nos jogadores, com direito à prancheta jogada ao chão. O sermão deu certo, e a equipe candanga se acertou na defesa, retomando o equilíbrio na partida.

Enquanto isso, os visitantes apostavam nas bolas de três pontos, mas sem sucesso: foram nove tentativas, mas nenhuma convertida. Apesar do alto número de erros, os candangos não conseguiam puxar contra-ataque, pois os rebotes eram predominantemente do Unifacisa, que contou com noite iluminada de Rodrigo Piru no garrafão: foram oito rebotes apenas no terceiro quarto. Foi o período de pior pontuação das duas equipes, mas o equilíbrio ainda se mantinha: 10×11 para os visitantes nesse período, e 54×51 no total.

Cerrado Basquete cai na volta do intervalo e vê o Unifacisa adiantar a marcação e virar o placar - Foto: Carlos Teixeira/Agência EB
Cerrado Basquete cai na volta do intervalo e vê o Unifacisa adiantar a marcação e virar o placar – Foto: Carlos Teixeira/Agência EB

Ainda no início do último quarto, a equipe do Cerrado sofreu um tremendo golpe: Paulo cometeu a quarta falta e precisou ser substituído, para evitar que fosse ejetado da partida. Mesmo com dificuldade nos rebotes, os mandantes viram a possibilidade de resolver o jogo de fora do garrafão: Breno acertou duas bolas seguidas e trouxe o time candango de volta pra briga.

O problema no cronômetro de uma das tabelas, que paralisou a partida por alguns minutos, parece ter apagado qualquer chance de reação do Cerrado, que viu Paulo voltar à quadra, cometer mais uma falta e ser ejetado. Com Rodrigo Piru sendo marcado de perto, Stábile passou a ser mais acionado e resolveu a parada, adicionando sete pontos para o Unifacisa nos minutos finais da partida.

Paulo (D) acabou ejetado da partida após cometer a quinta falta quando jogava o quarto período - Foto:  Carlos Teixeira/Agência EB
Paulo (D) acabou ejetado da partida após cometer a quinta falta quando jogava o quarto período – Foto: Carlos Teixeira/Agência EB

Os destaques da equipe de Campina Grande ficaram por conta de Rodrigo Piru, com 12 pontos e 21 rebotes, e Paulo Nery, com 20 pontos. Pelo lado do Cerrado Basquete, mesmo em noite apagada, Paulo foi o cestinha da equipe, anotando 12 pontos, enquanto o pivô Éric pegou oito rebotes.

Na próxima rodada, adversário em comum para os dois times: na terça-feira (13), o Unifacisa volta a Campina Grande para enfrentar o Macaé, enquanto o Cerrado Basquete recebe os cariocas alguns dias depois, no sábado (17), às 17h30, no ginásio da Iesplan.

Compartilhar